Mesmo sem acordo, o presidente da Câmara, deputado Marco Maia (PT-RS), disse que vai colocar em votação hoje (5) a medida provisória 571 do Código Florestal. O petista se isentou de responsabilidade na negociação para um possível acordo e disse que essa é uma tarefa do governo.
?Sou apenas presidente da Câmara. A minha tarefa é a de colocar as pautas de votação?, resumiu Marco Maia. ?Não tenho nenhuma responsabilidade com negociações que deverão acontecer durante o dia de hoje para a viabilização da votação da Medida Provisória 571. Isso é tarefa do governo. Conversar com os líderes e exercer o seu tamanho dentro da Casa?, disse o presidente da Câmara.
Maia, no entanto, se dispôs a colaborar para o entendimento. ?O que eu puder fazer no sentido de contribuir ou de ajudar para que haja um entendimento, eu farei, afirmou.
O encaminhamento da votação da MP do Código Florestal demostra mudança do presidente da Câmara em relação ao debate de temas polêmicos. No caso da votação da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO), ele assumiu a responsabilidade de negociar. Maia foi o principal articulador e conseguiu aprovação da LDO dentro do prazo previsto pelo Constituição.

Imprimir
Comentários