Minas Gerais apresentou resultados positivos na geração de novos postos de trabalho nos setores da construção civil e da indústria, segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgados no dia 16, pelo Ministério do Trabalho e Emprego (MTE).
Destaca-se no mês de julho o desempenho da construção civil, com 5.783 novos empregos e a indústria de transformação, com 4.836 novos empregos. Os dois setores foram responsáveis por mais de 55% dos empregos gerados no período. Ambos foram os que mais cresceram em comparação com julho de 2011, 3.445 a mais na construção e 3.363 na indústria.
Segundo os dados, o Estado gerou 19.216 novos postos de trabalho formais no mês de julho de 2012. Esse desempenho é o resultado de 219.851 admissões menos 200.635 desligamentos ocorridos no mês. Com isso, Minas foi o segundo estado que mais gerou empregos no Brasil, ficando atrás apenas de São Paulo, que criou 47.837 empregos. O total no país foi de 142.496 empregos gerados.
Apesar do resultado expressivo, os números representam uma desaceleração em comparação com o mês anterior, quando foram gerados 38.484 empregos. O Caged também apontou, na comparação anual, crescimento de 7.930 novos empregos formais, uma expressiva evolução de 142,3%.
De acordo com o coordenador do Observatório do Trabalho, Igor Coura, o momento é de expectativa do mercado para o fim do ano, ?quando os investimentos em capital humano na indústria e construção civil tendem a melhorar?. Para Coura, o desempenho desses dois setores se manteve firme no primeiro semestre, além de apresentar sensível melhora em comparação com a mesma época do ano passado, coisa que não ocorreu no país. ?O Estado é um dos grandes destaques na capacidade de gerar empregos industriais no Brasil em 2012. Tivemos uma evolução anual, no mesmo período, com um crescimento na indústria de 228,3% e de 147,3% na construção. No cenário nacional, esses números apontam crescimento de 4,7% e 0,8% respectivamente?, conclui.

print
Comentários