Formiga teve em dezembro do ano passado um dos piores saldos na geração de empregos dos últimos anos. Houve 907 demissões contra 425 admissões, ou seja, 482 postos de trabalho fechados, o que representa um saldo negativo de 3,58%.
Entretanto, o ano de 2008 ainda fechou com saldo positivo: foram 9.023 contratações, 8.753 desligamentos, o que resultou em 270 empregos formais garantidos ou 2,20%.
Conforme os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), em 2008, somente os meses de setembro e dezembro foram negativos em Formiga, sendo que setembro teve saldo de -1,79%.
O aumento no número de demissões em dezembro foi puxado pelo setor de administração pública, pois 146 servidores contratados foram exonerados, contra apenas 10 admitidos. O saldo negativo foi de 136 postos fechados (-82,93%).
Por incrível que pareça, o setor de construção civil, um dos que mais tem admitido funcionários, ficou em segundo lugar no balanço negativo de dezembro: houve 43 contratações, 236 desligamentos e saldo de 193 desempregados, isto é, -9,57%.
A relação segue com os setores de extrativa mineral (-7,04%); serviços (-2,17%); indústria de transformação (-2,05%) e agropecuária (-2,04%). A única área que fechou com balanço positivo em dezembro foi a de comércio, que, devido às contratações para o Natal, teve saldo de 0,54%, sendo mantidos 18 empregos (128 admissões contra 110 desligamentos).
Em 2008, o maior saldo foi 1,89%, no mês de junho. Lembrando que, durante a metade do ano, Formiga bateu os recordes do país. As baixas na geração de emprego seguiram a tendência nacional. Em Minas Gerais, foram fechadas 88.062 vagas formais (-2,59%). No Brasil, o resultado também foi o pior dos últimos anos, pois foi registrado um saldo negativo de 2,08%.
Apesar disso, Minas terminou o ano com saldo positivo de 4,19% e no Brasil o índice em 2008 foi de 5,01%.

Secretário de Desenvolvimento Econômico analisa os dados
De posse dos dados do Caged, o secretário de Desenvolvimento Econômico e Parcerias, Paulo César Rodrigues Costa (Paulinho), fez uma análise geral da evolução do emprego em Formiga durante 2008. Segundo ele, os piores setores do ano foram o de administração pública, o de agropecuária e o de serviços.
Sobre o setor de construção civil, que teve saldo negativo em dezembro, Paulo César explicou que geralmente em finais de ano há muita conclusão de obras e paralisação nos trabalhos devido às chuvas, por isso, muitos operários são demitidos. Mas, conforme ressaltou, vários deles são readmitidos no início de janeiro.
?Em 2007 também foi assim, só que este ano, devido à crise, foi mais acentuado. É normal os números serem mais baixos ou negativos em dezembro. Olhando por outro lado, parece que a crise já passou, ou melhor, chegamos no fundo do poço, porque o mercado já está reaquecendo?, enfatiza Paulinho.
O secretário acredita que a situação se equilibre no segundo trimestre do ano, mas, no primeiro trimestre, ele já prevê uma aquecida. ?Este mês e fevereiro ainda devemos ter números ruins, mas deve ser menos catastrófico do que dezembro?. Paulo César garantiu também que novos postos de trabalho serão criados com a vinda de novas empresas para a cidade ainda este ano.

print
Comentários