A Câmara dos Deputados realizou nesta terça-feira (11) uma sessão solene em comemoração aos 40 anos do Partido do Trabalhadores (PT).

O plenário foi tomado por deputados e senadores do partido, além de parlamentares do PSB e de outras siglas de oposição ao governo de Jair Bolsonaro. Os embaixadores de Cuba e da Palestina também compareceram. O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, enviou uma carta.

A sessão contou ainda com a presença de comunidades indígenas do sul do país, que exibiram faixas contra o projeto do governo e que regulariza a mineração e geração de energia em terras indígenas.

O ex-presidente Lula não compareceu. Ele embarca nesta terça para Roma, onde deve ser recebido pelo papa Francisco. Fernando Haddad, candidato à presidência pelo PT nas eleições de 2018, e a ex-presidente Dilma Rousseff, também não estavam presentes.

A sessão foi comandada pela presidente do PT, deputada Gleisi Hoffmann (PT-PR). Ela deu início à sessão lendo uma mensagem do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e depois fez um breve discurso.

“O PT faz 40 anos, uma história curta, mas muito intensa e com muitas realizações no período democrático da política brasileira”, afirmou a deputada.

“A despeito e apesar de toda a perseguição que o PT sofreu nos últimos tempos, em especial o presidente Lula, isso não foi suficiente para tirar o partido da luta. Se pensaram em nos destruir, se enganaram redondamente”, concluiu Gleisi.

 

Fonte: G1 ||
Imprimir
Comentários