Do lado de fora, os manifestantes que chegaram ainda cedo, com apitos e gritos de ordem questionaram políticos e convidados sobre a utilidade do evento “restrito”, pago com dinheiro público.

A entrega dos títulos de cidadania honorária e de outras homenagens do Legislativo formiguense ocorreu na noite de sexta-feira (19), no Amarillis Hall e foi marcada pelo protesto de populares que questionam o uso de verba pública em um evento restrito.

As queixas que se proliferaram pelas redes sociais nos dias que antecederam a “festança”, certamente foram causa de ausências por parte de homenageados e de convidados. O clima realmente não foi dos melhores e os organizadores, quando perceberam a reação de parte da população, não tiveram  tempo nem condições de um recuo; isto foi o que se percebeu na fala de alguns edis, em entrevista.

A festa que, convenhamos, já é “quase” tradicional, com maior ou menor pompa, vem sendo realizada há muitos anos. Porém, nesta atual Legislatura, não ocorreu durante os dois últimos anos.

O presidente da Câmara, Evandro Donizeth da Cunha (Piruca), entrevistado pelo editor chefe do portal, momentos antes do início da solenidade, foi claro ao responder: “Todas as indicações dos homenageados foram feitas livremente pelos vereadores e aprovadas em plenário. Eu, como presidente da Casa, segui o ritual que igualmente foi aprovado por todos e acatei a sugestão do pessoal da Câmara quanto à organização da solenidade (festa). A verba destinada a isto, como você sabe, é de livre movimentação pelo Legislativo e não cabe a nós, quando devolvemos as sobras para o Executivo, determinar em que o recurso devolvido seja aplicado. Quando sugerimos algum direcionamento, não temos a garantia que a aplicação ocorrerá, não é assim?  Quanto à manifestação, acho que ela é democrática e tenho em mãos a cópia de um documento protocolado na Polícia, onde a Fabiana Freitas garante que tudo ocorrerá em paz. O que o povo está reclamando, acho que estão certos. Realmente está faltando muita coisa”, disse o vereador, minutos antes de chegar ao salão a notícia da lamentável agressão havida por parte do prefeito, contra um profissional da imprensa, no exercício de sua função, quando o fotógrafo Paulo Pacheco, tentava fazer entrevistas com participantes ou convidados, a serviço do portal.

Cumprindo o papel de bem informar e ciente da movimentação que conforme noticiado, já se esboçava como algo de concreto nas redes sociais; o fotógrafo freelancer, Paulo Pacheco foi designado para a cobertura externa, enquanto no salão, a jornalista Priscila Rocha e o editor do portal, Paulo Coelho, acompanhariam o evento, já que a editora, Lorene Pedrosa, estaria junto com outras senhoras que compuseram o movimento SOS Santa Casa, sendo homenageadas pelos relevantes serviços prestados àquela entidade, por indicação do vereador Cabo Cunha.

Do lado de fora, os manifestantes com apitos e gritos de ordem questionaram políticos e convidados sobre a utilidade do evento restrito (confira fotos abaixo), pago com dinheiro público, sob a ótica de que num período em que a cidade vive uma grave crise em vários setores, tais gastos seriam um desperdício e poderiam ser evitados.

Conforme dito, foi registrada uma ocorrência envolvendo o prefeito Moacir Ribeiro, seu motorista e o Ouvidor Erasmo Spíndola, em agressão ao fotógrafo Paulo Pacheco, caso que será posteriormente apurado pelas autoridades, uma vez que as providências de praxe – registro em B.O. e outras – foram tomadas.

Lá dentro, janelas e portas foram cerradas enquanto perdurou o protesto lá fora, já que o ruído dos gritos (palavras de ordem) e o som dos apitos interferiram durante a apresentação dos homenageados (leitura de currículos).

Ao todo, 50 pessoas foram homenageadas, além do Grupo SOS Santa Casa, que recebeu a homenagem especial da noite pelo trabalho desenvolvido nos últimos três meses em prol da Santa Casa de Caridade de Formiga.

A festa foi animada pela banda Phasis e o número de presentes, certamente foi bem inferior ao programado.

 

Gastos com a solenidade.

O valor total investido, conforme informado pela Câmara, em atendimento à nossa solicitação, foi de R$ 54.495,71.

Atualização: no início da tarde desta segunda-feira (22), a assessora de comunicação da Câmara divulgou o restante dos gastos com a Solenidade realizada pela Casa. O valor se refere aos gastos com as placas das homenagens no  valor de R$8.009,43.

print

Comentários