Desde 1º de janeiro, os caminhoneiros passaram a gastar 65% a mais para abastecer. Esse é o percentual de aumento no preço do óleo diesel. A reportagem da Itatiaia visitou dois postos de combustíveis no Anel Rodoviário de Belo Horizonte para ouvir dos profissionais uma análise do cenário atual.

Eduardo Souza Marques, de 36 anos, há 11 trabalha como caminhoneiro. “Nunca tinha visto [um momento com os preços tão altos] e está acabando com tudo. Porque tudo que você tem é um cartão de crédito, um cheque. Você coloca diesel e não tem retorno”, afirmou.

A cada três dias, Eduardo abastece cerca de R$ 800 de diesel. “Dá cerca de 150 litros. Não enche nem o tanque. O caminhão dá 2,5 quilômetros por litro de diesel. Está absurdo, não compensa mais”

Luiz Antônio Santa Cecília, 48 anos, argumenta que, para encher o tanque, são necessários quase R$ 3 mil. “São 600 litros de óleo na carreta, então dará cerca de R$ 2,9 mil”.

” No governo da [ex-presidente] Dilma também subia desse jeito. O [ex-presidente Michel] Temer entrou e continuou subindo. Teve aquela greve braba há três anos que parou o país, aí o povo deu uma freada. Só que agora virou bagunça”, diz.

Luiz também questiona alguns protestos com fechamento de pistas e sugere um movimento nacional da categoria. “Fico um mês parado. Se todo mundo fizer isso, o governo tem que mudar, mas o pessoal vai é por fogo em pista. O direito de ir e vir do cidadão brasileiro tem que ser cumprido”, completou.

Fonte: Itatiaia

print
Comentários