Tem quem critique, considere ultrapassado ou ache que não combina com os tempos atuais, mas tradição é tradição. No caso, de mais de um século lutando pela hegemonia nos gramados mineiros.

Para América, Atlético e Cruzeiro, é uma disputa que sempre começa com tom de obrigação, além de um primeiro teste antes de desafios ainda mais ambiciosos – Copa Libertadores, Copa do Brasil e Campeonato Brasileiro.

Para os clubes do interior, oportunidade de mostrar seu trabalho, revelar atletas e, quem sabe, sonhar com voos mais altos, como a Copa do Brasil e seus prêmios milionários ou a Série D. As diferenças de orçamento são significativas, mas sonhar não é proibido. Ainda mais depois da mudança adotada ano passado, quando a Federação Mineira de Futebol (FMF), a pedido dos clubes, adotou um confronto de quartas de final.

Especialmente num começo de temporada, o tradicional período das “pernas pesadas” e do entrosamento longe do ideal, não é incomum a zebra aparecer e influir no desfecho do campeonato até a grande final, nos dias 14 e 21. Como se não bastasse, os outros desafios desse começo de ano podem levar os favoritos a poupar titulares.

Os grandes da capital entram no Estadual com os mesmos treinadores que terminaram 2018, mas muitas mexidas. O Cruzeiro, atual campeão, perdeu um dos principais personagens da campanha do título, o uruguaio De Arrascaeta, que se transferiu em meio a polêmica para o Flamengo. E os esperados Rodriguinho e Marquinhos Gabriel, se efetivamente contratados, não entrarão em campo nas primeiras rodadas. Se a base de Mano Menezes (que conquistou seu primeiro Mineiro)foi mantida, Thiago Neves, que se recupera de contusão, é ausência certa na estreia de amanhã, contra o Guarani, em Divinópolis.

O vice-campeão Atlético investiu pesado para trazer Igor Rabello e reforça a zaga também com um velho conhecido: Réver, capitão na conquista da Libertadores de 2013. Vinícius, Maicon Bolt e Papagaio chegam para proporcionar novas opções ofensivas a Levir Culpi, que sabe bem o que é dar a volta olímpica no Mineirão – em 1995, 2007 e 2015 no alvinegro de Lourdes; em 1996 e 1998 no principal rival.

No América, a ordem é reconstrução depois do retorno à Série B do Brasileiro, com mais de um time de saídas e quase um de chegadas. Uma tarefa à altura da experiência do ‘professor’ Givanildo Oliveira, que também tem Mineiro no currículo (2016).

Conhecidos
Dentro de suas possibilidades, os clubes do interior se reforçaram com promessas e nomes conhecidos. O Villa Nova trouxe de volta o volante Roger Bernardo (ex-Atlético) e conta com o promissor goleiro Georgemy (Seleção de base pelo Cruzeiro). Na Tombense, de Ricardo Drubscky, o rodado meia Juan (ex-Flamengo, Fluminense e São Paulo). Gladstone, Reis (URT); Ademílson, Leo Salino (Tupynambás); Renan Rocha (Boa); Aislan (Tupi) e Éwerthon Maradona (Guarani) também pintam entre os destaques.

Forma de disputa

O Campeonato Mineiro deste ano terá o mesmo formato do Estadual de 2018. Após 11 rodadas da fase classificatória, os oito primeiros, entre os 12 concorrentes, classificam-se às quartas de final, que serão disputadas em jogo único. Os donos das melhores campanhas têm a vantagem de jogar em casa. Em caso de empate, a vaga será definida nos pênaltis. As duas piores equipes ao final da fase classificatória são rebaixadas.

A semifinal e a final seguem com jogos de ida e volta. Os clubes de melhor campanha na primeira fase fazem a segunda partida decisiva em casa. O Estadual de 2019 começa no sábado, com um jogo marcado. Às 16h30, o atual campeão Cruzeiro visitará o Guarani, no Farião, em Divinópolis. A finalíssima está marcada para 21 de abril. Ao todo, são 16 datas da competição.

VAR

A novidade da edição de 2019 do Mineiro será a utilização do árbitro de vídeo. O auxílio do VAR ocorrerá a partir das semifinais e em estádios homologados, com estrutura para receber os equipamentos.

Os 12 participantes do Campeonato Mineiro de 2018

América

Atlético

Boa Esporte

Caldense

Cruzeiro

Guarani

Patrocinense

Tombense

Tupi

Tupynambás

URT

Villa Nova

Títulos por clube

Atlético – 44

Cruzeiro – 37

América – 16

Villa Nova – 5

Siderúrgica – 2

Ipatinga – 1

Caldense – 1

Confira a tabela:

Foto: Divulgação

 

Fonte: Hoje em Dia ||

print

Comentários