O campo de gelo de 12 mil quilômetros quadrados, no sul da Patagônia chilena, se partiu em dois e provavelmente deverá continuar a rachar com as mudanças climáticas, de acordo com uma equipe de cientistas do Chile que esteve na região em março.

Gino Casassa, diretor da Divisão de Neve e Geleiras na DGA, autoridade de Águas do Chile, disse à Reuters que o aumento de temperatura ao longo da Cordilheira dos Andes, no sul do Chile e da Argentina, resultou em menos neve e gelo para reabastecer as abundantes geleiras da região.

“O que ocorreu foi uma fratura porque o gelo retraiu”, disse Casassa.

O pedaço de gelo que se soltou da geleira principal é de aproximadamente 208 quilômetros quadrados, uma parte relativamente pequena do campo de gelo. Mas Casassa disse que isso pode ser um sinal do que virá pela frente.

O campo de gelo, afirmou, está agora “partido em dois e, provavelmente, descobriremos novas rachaduras ao sul”.

Dois icebergs se soltaram da Geleira Cinza, no sul do Parque Nacional Torres del Paine no Chile. Os cientistas temem que essas rupturas possam se tornar mais frequentes.

IMPRIMIR

Fonte:

Agência Brasil