Da Redação

O Cartório Eleitoral de Formiga dará início, na segunda-feira (17), ao recadastramento biométrico dos eleitores da 114ª zona eleitoral.

O recadastramento será ordinário (não obrigatório) e estará disponível para todos os eleitores de Formiga, Córrego Fundo e Pimenta.

Para realizar o recadastramento biométrico, o eleitor deverá comparecer ao Cartório para coleta das digitais, da assinatura eletrônica e de fotografia digitalizada, munido dos seguintes documentos: documento de identificação com foto (RG,CNH, Carteira de Trabalho, Passaporte, Carteira de Reservista ou Certificado de Alistamento Militar); comprovante de residência recente (emitido, no máximo, há 3 meses) e o título de eleitor (não obrigatório).

O atendimento ocorrerá de segunda a sexta-feira, das 12h às 18h. O Cartório Eleitoral está localizado à rua Silviano Brandão, 156, Centro. O telefone para esclarecimentos é (37) 3321-1846.

Na biometria ordinária, como é o caso da 114ª zona eleitoral, o eleitor não tem um prazo definido para comparecer, mas, se o fizer, votará nas próximas eleições de modo ainda mais seguro.

A principal vantagem do sistema biométrico é a segurança, além da atualização do cadastro eleitoral. Com a identificação biométrica não haverá o risco de um eleitor votar no lugar do outro.

Segundo o chefe do Cartório Eleitoral de Formiga, Marcos Eugênio Lopes, caso o eleitor opte por não realizar o recadastro biométrico ele votará normalmente nas próximas eleições. “O eleitor que não tiver o interesse em realizar o recadastro agora não terá o título de eleitor cancelado e poderá votar normalmente nas próximas eleições, pois as seções eleitorais serão mistas, ou seja, compostas pelos dois tipos de urna”, explicou.

Marcos informou ainda que futuramente todos os eleitores terão que fazer o recadastro.

 Biometria em Minas

O projeto em Minas Gerais começou em 2009 com o recadastramento de cerca de 200 mil eleitores, em quatro municípios. Nas Eleições 2016, houve votação com identificação biométrica em 249 municípios, alcançando 1.584.923 eleitores (10% do eleitorado) em todo o Estado. Em 80 deles – as cidades que passaram pela chamada revisão biométrica obrigatória – a votação foi totalmente biométrica. Nos outros 169 municípios – onde a biometria não era obrigatória -, a votação foi mista (também chamada de híbrida): o eleitor que não fez o recadastramento biométrico pôde votar da maneira tradicional.

Atualmente, 1,6 milhão de eleitores de 303 cidades já podem ser identificados pela biometria. Desses, 80 municípios tiveram 100% dos eleitores com as digitais cadastradas. Em Belo Horizonte, o recadastramento biométrico do eleitorado começou em setembro de 2015, sem obrigatoriedade de comparecimento.

No final de março deste ano, o recadastramento biométrico ordinário (não obrigatório) chegou a mais 60 municípios, com isso, Minas soma 363 cidades com biometria não obrigatória. No total, a biometria abrange o eleitorado de 447 municípios mineiros.

O TSE estima que até o final desta década seja possível que todos os eleitores brasileiros possam votar pelo sistema de identificação biométrica.

Mais informações pelo Disque-Eleitor (148), das 7h às 19h.

Imprimir

Comentários