O número de estupros em Minas Gerais aumentou 10,8% no intervalo de um ano, entre 2016 e 2017, revela o Anuário Brasileiro de Segurança Pública 2018, divulgado nesta quinta-feira (9), em São Paulo, pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP). As tentativas de estupro também tiveram aumento. Os registros de feminicídios também subiram.

Em 2016, foram 4.692 pessoas estupradas em todo o Estado. No ano passado, o número aumentou para 5.199. As tentativas em 2016 foram 613, subindo para 628 em 2017, aumento de 2,4%.

Ao todo, 344 das 4.134 vítimas de homicídios em Minas Gerais no ano passado eram mulheres.  Houve queda de 2,5% em relação a 2016, quando 353 mulheres foram mortas de forma violenta.

As estatísticas de feminicídio aparecem separadamente das de homicídios de mulheres. O feminicídio é o assassinato de uma mulher pela condição de ser mulher. Em 2015, a Lei do Feminicídio juntou-se à Lei maia da Penha (que completou 12 anos nesta semana) no conjunto das políticas criadas para prevenir e punir atentados, agressões e maus-tratos. A nova legislação trouxe mais rigor às penas para crimes praticados nos casos de violência doméstica e familiar, e de menosprezo ou discriminação à condição feminina.

A 12ª Edição do Anuário Brasileiro de Segurança Pública mostra que o número de feminicídios no país subiu de 926 em 2016 (ano seguinte à criação da lei) para 1.133 no Brasil. Em Minas Gerais, foram 134 feminicídios em 2016 e 145 em 2017. No ano passado, a proporção de feminicídios em relação aos homicídios de mulheres correspondeu a 42,2%.

IMPRIMIR

Fonte:

Estado de Minas