A CBF repete comportamento pós-Copa de 2006, quando a entidade sofreu pressão da imprensa e da opinião pública pelo fracasso na competição, e contrata Dunga novamente para o comando técnico da seleção brasileira. O treinador será oficializado na terça-feira (22), às 11h (de Brasília), em coletiva de imprensa, na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro.
No mesmo evento, a CBF também irá divulgar os outros nomes da comissão técnica. A contratação de Dunga foi balizada pelo novo coordenador técnico das seleções, Gilmar Rinaldi, junto com o presidente da CBF, José Maria Marin, e o futuro mandatário da entidade, Marco Polo Del Nero.
Pela seleção, Dunga conquistou a Copa América de 2007 e a Copa das Confederações de 2009. Ele fracassou nas Olimpíadas de 2008, quando o Brasil foi eliminado pela Argentina na semifinal, e na Copa de 2010, quando seu time perdeu nas quartas de final para a Holanda.
Em 2006, Dunga foi contratado pelo então presidente Ricardo Teixeira com o objetivo de renovar a seleção e garantir a convocação apenas de atletas comprometidos com a ?amarelinha?. Na Copa daquele ano, o time foi criticado pela badalação e baixa produção, apesar de elenco galático.
Atualmente, as criticas à entidade são pela falta de renovação do futebol brasileiro e pela defasagem técnica e tática dos treinadores. Defeitos ilustrados pela eliminação sofrida para a Alemanha na Copa deste ano.

Imprimir
Comentários