Por Gleiton Arantes

O Centro Municipal de Apoio à Aprendizagem (Cemap), desde a sua inauguração na sede atual em abril de 2010, tem feito a diferença na vida de muitas famílias formiguenses e é considerado referência na região Centro-Oeste.


Atualmente, o local atende cerca de 150 alunos e as famílias destas crianças. O centro conta com 14 professores especializados, além de quatro psicólogos, três fonoaudiólogos e um terapeuta ocupacional.


Nesta semana, uma equipe do Últimas Notícias esteve no local conferindo o trabalho realizado no centro. De acordo com a diretora do estabelecimento, Débora Bessas, o atendimento teve início com cerca de 30 alunos e, ao longo desses anos, aumentou a procura. O atual espaço não comporta a quantidade de crianças atendidas e o número de profissionais também precisa aumentar. “O local foi construído adequadamente para atender a esses alunos, mas já está apertado, pedimos ao prefeito que seja feita a ampliação do prédio. Solicitamos à Secretaria de Educação mais sete profissionais para o próximo ano”, explicou.


A tendência é a de que a demanda aumente ainda mais, pois de acordo com Débora, em média, por mês, três crianças são diagnosticadas e precisam de acompanhamento. “Bebês de um ano já vêm para tratamento e eles não saem antes do 9º ano. Não é um atendimento passageiro. A criança vai precisar de um acompanhamento durante esse percurso escolar”, disse a diretora.


Débora explicou ainda, que os alunos com baixa visão, surdos, cegos e autistas atendidos no centro estão matriculados nas escolas do município e vão para o Cemap no contra turno, de 2 a 3 dias por semana, para um atendimento complementar, resultando em um trabalho integrado entre a equipe.


Em 2017, o centro passou a funcionar no Caic, e a procura aumentou consideravelmente. Com isso, a Emmel e a UAB foram transferidas para a sede do Cemap. Passado algum tempo, com a saída das escolas, a Secretaria de Educação e Esportes achou melhor voltar com o atendimento do Cemap no antigo local.


Em agosto deste ano, o secretário de Educação e Esportes, Cid Corrêa explicou ao portal que a instituição foi unificada ao Caic que apresentava ociosidade de espaço. “Porém, o número de estudantes tanto do Caic quanto do Cemap aumentou muito e o local ficou pequeno para as duas instituições, desta forma, tivemos que realocar o Centro de Aprendizagem para a antiga sede”.

Trabalho em equipe
Uma associação, denominada Associação de Pais e Amigos do Cemap (Apacem) foi criada recentemente. O presidente, Carlos Alberto Alves, que tem um neto atendido pelo Cemap, destacou a importância do centro no apoio às crianças de Formiga e a união de vários pais que abraçam a causa.


“Muitas pessoas de Formiga não têm conhecimento do trabalho que é feito com essas crianças no Cemap. Meu neto foi diagnosticado com autismo e, há dois meses, comecei a acompanhar o trabalho da equipe. Resolvi ajudar também na parte de mão de obra e tivemos a ideia de criar essa associação, com o objetivo de conseguir ajuda para ser revertida em benefício para o centro. As autoridades e a Secretaria de Educação têm nos ajudado, mas precisamos de ampliação. O Cemap hoje é referência na região e no Estado”, destacou Carlos Alberto.


Renata Nunes é mãe de uma aluna autista, de 3 anos, atendida no Cemap. “Minha filha frequenta o centro três vezes por semana e, a cada dia que passa, percebo a evolução que vem acontecendo com ela. Acho que o centro precisa de uma expansão tanto física quanto de profissionais, pois vem aumentando o número de crianças atendidas”.

A fonoaudióloga Anna Raquel Soares ressaltou que Formiga é privilegiada em poder contar com o centro que possui uma equipe engajada e por ter esse apoio para as escolas regulares, que contam com acompanhamento e capacitação de professores. “Posso dizer também que é um privilégio para as famílias, que podem contar com esse apoio. Que o Cemap possa crescer cada vez mais e continuar com essa principal missão que é de efetivar a inclusão e o bem estar dos alunos”.


De acordo com a professora Megg Teixeira, o trabalho no Cemap é multidisciplinar oferecido por meio da afetividade, da linguagem, do cognitivo e do social de forma global, facilitando as atividades na escola regular.

Necessidade de expansão e reformas
De acordo com a direção do centro, no início, o local contava com quatro salas para professores e mais cinco especializadas como videoteca, brinquedoteca, estimulação cognitiva, terapia e, hoje, elas se transformaram em salas para atendimento. Dos sete profissionais solicitados para o ano que vem, já ficou acordado que a Secretaria de Educação disponibilizará dois.


O espaço nunca passou por reformas e precisa de ampliação. Durante a visita, o potal flagrou problemas no prédio como vazamentos e infiltrações. Algumas salas precisam de iluminação e ventilação, troca de piso, de torneiras, de canos novos, e manutenção na área externa.


O Cemap foi instituído e implantado pelo Decreto Municipal nº 3667, de 13 de junho de 2007, para atendimento especializado aos alunos que apresentam necessidades educacionais especiais nos diferentes níveis, etapas e modalidades da educação, de acordo com a Política Nacional de Educação na Perspectiva da Educação Inclusiva.
O centro está localizado na rua Alderico Nogueira, 470, bairro Sagrado Coração de Jesus.

Imprimir