As chuvas dos primeiros dias de janeiro tem caído de forma muito intensa e têm provocado danos em toda a região. Além de problemas comuns como danos no asfalto, algumas localidades tiveram problemas como queda de pontes, alagamentos e até casas destruídas pelas águas.

Uma dessas cidades foi Paraisópolis. De acordo com informações do G1. a força da enxurrada chegou a abriu o portão de aço de uma oficina. As chuvas também provocaram estragos e danos materiais por toda a cidade. Já em Caxambu (MG), uma família registrou a entrada da enxurrada dentro da casa e toda a dificuldade que encontraram para conter a água.

Em Lambari (MG) um cachorro precisou ser resgatado por um morador. O lago transbordou e até o Parque da Águas foi atingido. Outra cidade muito afetada pelas chuvas foi Maria da Fé (MG). A água subiu e inundou várias casas em muitos bairros.

Poço Fundo

Em Poço Fundo (MG) a enxurrada arrancou o calçamento das ruas. Cerca de 10 pessoas ficaram desalojadas e oito moradores foram acolhidos pela prefeitura por falta de segurança. “Foi uma chuva volumosa e em pouco tempo. Em alguns pontos da cidade, o volume de chuvas chegou a 130 milímetros em apenas uma hora”, contou o prefeito da cidade, Rosiel de Lima (PT).

Ele também falou das consequências de cair tanta água em pouco tempo. “Como o volume foi muito grande, provocou uma enxurrada das partes mais altas vindo para as partes mais baixas. A enxurrada destruiu as ruas e o córrego transbordou e entrou nas residências nas localidades mais baixas, ocasionando destruição das vias e imóveis”, continuou.

A doméstica Valdinete Souza foi uma das pessoas que perderam tudo com as chuvas na cidade. A enxurrada chegou a invadir a casa dela e derrubou parte do imóvel. A água teria ficado empoçada num lote ao lado da casa até derrubar o muro. O imóvel chegou a ser condenado pela Defesa Civil. “Minha filha disse: “Mãe, fez um barulho. Quando olhei pra trás, o guarda-roupa já estava no meio da sala. Foi o tempo de nós sairmos. Comecei a pedir socorro”, contou Valdinete que estava com as duas filhas em casa na hora do incidente.

Doações

Para amenizar os danos das chuvas, a solidariedade é muito importante. Um exemplo é do agricultor Dilecto de Martins de Araújo que resolveu doar uma cama usada. “Estava com essa cama em casa. Era mais para visita. Mas nesse caso agora, deixa para depois. Vamos levar essa aqui pra lá. Nessa emergência vai ajudar bem a família”, disse.

A Prefeitura de Maria da Fé fez uma campanha para arrecadar donativos para as famílias atingidas pelas chuvas na cidade. Para doar, basta entrar em contato com o CRAS local através do (35) 3662-1780 ou comparecer na Rua Ítalo Venturelli, 26, no Centro.

Fonte: G1

Imprimir
Comentários