Moradores de Minas Gerais continuam sofrendo as consequências dos temporais no estado. Quatorze cidades já decretaram situação de emergência por causa de estragos neste período chuvoso 2019/2020. Somente em dezembro, cinco prefeituras pediram ajuda ao governo do estado. Moradores de Barbacena, na Região Central, ainda contabilizam os prejuízos que foram causados durante a chuva forte que atingiu a cidade ontem. Houve inundações e carros foram arrastados. Não há informações sobre vítimas.

O temporal, acompanhado de granizo, teve início por volta das 14h. Foram atendidas 24 ocorrências, entre inundações, desabamentos, quedas de árvores e deslizamentos de barrancos. Carros com pessoas dentro foram arrastados pela correnteza que se formou em alguns bairros. Segundo o Corpo de Bombeiros, inundações atingiram alguns bairros, como o Santa Tereza. Carros ficaram ilhados. Nos bairros São José, Diniz 2 e Vilela, a água arrastou automóveis com pessoas dentro. Uma farmácia foi inundada na Rua Ibertioga. Na Praça da Rua Bahia, um ribeirão que passa pelo local transbordou.

Também houve registro de casas inundadas, principalmente, na colônia Rodrigo Silva. Uma residência desabou parcialmente. Árvore caiu na MG-338 e fechou a rodovia. Houve deslizamentos de terra nos Bairros Aguada e Funcionários. Foram empenhados para atender as ocorrências 20 bombeiros e oito viaturas. Militares do setor operacional e do serviço administrativo também tiveram que ser mobilizados.

Na BR-040, em Congonhas, uma árvore caiu por volta das 14h. De acordo com a Via 040, concessionária responsável pela rodovia, o tronco ficou atravessado na rodovia próximo ao Km 605. A pista foi fechada em direção ao Distrito Federal. O trânsito teve que ser desviado para o outro lado da rodovia, o que provocou grande lentidão. Técnicos da empresa fizeram o corte da árvore. A rodovia foi totalmente liberada por volta das 15h30.

Como o Estado de Minas mostrou na edição de 4 de dezembro, os moradores devem ficar em alerta neste último mês do ano, considerado o mais crítico do período chuvoso. Nos últimos anos, dezembro concentrou a maioria dos óbitos ligados à chuva: 50 das 87 fatalidades registradas por esse motivo entre 2013 e 2018. É também nesta época que disparam os números de ocorrências e de pedidos de ajuda dos municípios à Defesa Civil Estadual, com 57% dos totais registrados na estação chuvosa dos mesmos anos.

Emergência

Desde o início do período chuvoso, 14 cidades mineiras já decretaram situação de emergência por causa de inundação, enxurrada, alagamentos e vendaval. A última a entrar para a lista foi Goiabeira, na Região do Rio Doce. Também solicitou ajuda Santa Rita do Sapucaí, Itabirito, Viçosa, Ninheira, Rio Acima, Córrego Novo, Paula Cândido, Rio Pardo de Minas, Tarumirim, Pingo D’água, Muriaé, Reduto, Engenheiro Caldas, e Goiabeira. Outros 17 municípios tiveram ocorrências, mas não decretaram situação de emergência.

Já são sete mortes registradas na temporada chuvosa. A vítima mais recente foi Gislei Andrade de Oliveira, de 37 anos, que estava em um Renault Sandero sobre uma ponte próxima à Avenida Barbacena, em Ibirité, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, quando chuva forte alagou a região. O carro da vítima foi encontrado primeiro. O resgate do corpo ocorreu no Bairro Jardim Industrial, a cerca de seis quilômetros do local do acidente.

Em 7 de dezembro, uma mulher morreu depois de ser arrastada pela enxurrada em Muriaé, na Zona da Mata. Daniela Carla de Oliveira Silva, de 41, foi arrastada por uma enxurrada que tomou a Rua Tombos e ficou presa embaixo de um carro. Ela chegou a ser socorrida, mas morreu no hospital.

Em outubro, Roberto Rodrigues do Vale, de 50, resgatou o filho que caiu em um buraco aberto pela água dentro de uma casa em Viçosa, na Zona da Mata. Porém, ele não conseguiu sair e foi arrastado. Hilda Leandro de Jesus Silva, de 46, foi atingida pelo tronco de eucalipto às margens do Rio Sapucaí, em Santa Rita do Sapucaí, no Sul de Minas, durante temporal de granizo. Já João Paulo Gonçalves dos Santos, de 29, foi vítima de descarga atmosférica em Januária, na Região Norte de Minas. Ele estava com a mulher, sentado em um banco, quando o raio o atingiu, provando sua morte.No início do mês, o motorista de serviço de aplicativo de transporte, Wagner Venâncio dos Santos, de 36, e a passageira Maria Regina de Deus, de 60, morreram depois de o carro em que estavam ser arrastado por enxurrada em Sete Lagoas, na Região Central de Minas.

Mais água

A Defesa Civil de Belo Horizonte informou que há possibilidade de pancadas de chuva até a manhã de hoje. Na capital, a precipitação pode vir acompanhada de raios e rajadas de vento em torno de 50 quilômetros por hora até as 8h. Hoje, a temperatura mínima deve ficar em 19°C e a máxima pode chegar aos 29°C. A previsão não é muito diferente para o resto do estado, segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet). O dia deve ser nublado com pancadas de chuva e trovoadas isoladas no Triângulo Mineiro/Alto Paranaíba, Central Mineira, Oeste, Sul/Sudoeste, Campo das Vertentes e Zona da Mata. Já nas regiões Metropolitana, Noroeste e Rio Doce, o céu debe ficar parcialmente nublado a nublado, mas também pode chover em áreas isoladas. Demais regiões, céu claro a parcialmente nublado.

 

Fonte: Estado de Minas||
Imprimir
Comentários