Um grupo internacional de cientistas publicou nesta segunda-feira (14), na revista científica “Nature”, um artigo que aponta a descoberta do gás fosfina na atmosfera de Vênus.

A fosfina é um gás que existe também na Terra. A descoberta sugere que o planeta pode hospedar vida microbiana.

“Isso pode apontar para a presença de vida nas nuvens do planeta”, informou a líder do estudo, Jane Greaves, professora da Universidade de Cardiff, no Reino Unido.

A fosfina existente na atmosfera terrestre é produzida por micróbios anaeróbicos (que não precisam de oxigênio) ou pela atividade industrial. Em Vênus, os cientistas acreditam que ele pode ter origem em processos fotoquímicos ou geoquímicos desconhecidos. Os cientistas não conseguiram identificar a fonte.

“Há duas possibilidades: pode haver alguma reação completamente desconhecida que está criando fosfina em Vênus, ou, a mais excitante, pode ser vida”, explicou William Bains, pesquisador do MIT.

Greaves procurava por fosfina na atmosfera de Vênus desde 2016. Ela e sua equipe observaram a superfície do planeta por meio de dois telescópios, um no Havaí e outro no Chile. “[A descoberta] É inesperado e emocionante”, disse a astrônoma.

“Estamos animados com a descoberta”, afirmou uma das autoras, Sara Seager, professora do Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT).

“Mas não estamos afirmando que encontramos vida em Vênus”, ponderou Seager.

Segundo o artigo, apesar das suspeitas da professora Greaves, a descoberta do gás na atmosfera de Vênus é surpreendente porque as condições na superfície do planeta são hostis à vida e a composição das suas nuvens, local onde foi identificada a fosfina, é altamente ácida. “Em tais condições, a fosfina seria destruída muito rapidamente”, diz o texto.

Os cientistas afirmam que outras observações de Vênus e demais estudos são necessários para explorar a origem da fosfina na atmosfera do planeta.

“Estamos procurando por sinais de vida em exoplanetas, procurando por gases que não esperamos que estejam lá e há muitas missões em busca de potenciais sinais de vida em nosso Sistema Solar”, informou Seager.

“Esperamos que nossa descoberta motive futuras missões focadas em Vênus”, pediu a astrônoma, lembrando que o planeta estava praticamente esquecido pela comunidade científica.

Fonte: G1

Imprimir
Comentários