Um médico-cirurgião britânico perdeu seu registro profissional após gravar suas iniciais no fígado de dois pacientes, informou nesta semana um tribunal inglês.

Simon Bramhall já havia admitido que assinou os órgãos de dois pacientes transplantados em 2013. Na época, o caso havia sido descoberto por um colega que o denunciou.

Ele trabalhava no hospital Rainha Elizabeth de Birmingham, na Inglaterra.

Em 2017, ele foi condenado a pagar uma multa de 10 mil libras (R$ 76 mil) pela ação, mas seguiu trabalhando por mais alguns anos.

Já em 2020 ele chegou a perder a licença temporariamente, conforme reportou a emissora britânica BBC, mas a decisão desta segunda o tira de vez das salas de cirurgia.

Isso porque o caso chegou ao Tribunal que revisa o trabalho de médicos (MTPS da sigla em inglês), responsável por essas decisões, e que considerou este um “ato de arrogância profissional”.

O MTPS disse ainda, em sua decisão, que ainda que a marcação não tenha provocado danos aos pacientes, que era uma “violação nojenta da dignidade e autonomia” deles.

Fonte: G1

print
Comentários