Clássico Mineiro não terá torcidas divididas

Clima da reunião foi diferente das antes das finais da Copa do Brasil do ano passado, quando os dois clubes brigaram por bilhetes

Clima da reunião foi diferente das antes das finais da Copa do Brasil do ano passado, quando os dois clubes brigaram por bilhetes

Não será desta vez que o maior clássico do futebol Mineiro terá a volta das torcidas divididas. Em reunião na sede da Federação Mineira de Futebol, na quarta-feira (4), ficou definido que o jogo entre Cruzeiro e Atlético, no Mineirão, terá apenas 10% da carga total de ingressos destinadas à torcida alvinegra. Com isso, serão disponibilizados 6.043 dos 60.000 bilhetes colocados à venda para os atleticanos.
O jogo começa às 16h e é válido pela sexta rodada do Estadual. A torcida do Atlético ficará nos setores superior roxo, superior norte laranja e inferior norte laranja. A capacidade total do estádio é de 62.170, no entanto, por medidas de segurança, alguns setores serão bloqueados para o isolamento das duas torcidas.
O clima da reunião foi diferente dos episódios protagonizados durante as finais da Copa do Brasil do ano passado, quando os dois clubes protagonizaram uma briga pelos percentuais dos ingressos das duas partidas. Membros dos Bombeiros, Polícias Militar e Civil, Ministério Público e Minas Arena também participaram do encontro.
Mandante do confronto, o Cruzeiro foi representado pelo gerente de futebol Valdir Barbosa e o supervisor Benecy Queiroz. Valdir entende que a decisão agradou ao clube celeste.
Não teve nenhum atrito, foi tranquila. Definiu-se o lógico entre Cruzeiro e Atlético. As autoridades acataram tudo. Agora é ir para o jogo e que vença o melhor. Em relação ao ano passado, não houve o cumprimento do acordo. Agora está tranquilo. A gente havia acertado verbalmente com o Atlético e o acordo será cumprido, afirma.
Pelo lado do Atlético, compareceram o diretor jurídico Lásaro Cândido, a diretora-executiva Adriana Branco e o advogado Lucas Ottoni. Conforme prevê o Estatuto do Torcedor, o clube têm até às 16h desta quarta para solicitar os bilhetes disponibilizados pela equipe mandante.
Apesar de dizer que a proposta ainda está em análise, sobretudo em relação aos preços e posicionamento dos setores, Lásaro afirma que o Galo saiu satisfeito da reunião.
Quando se cumpre o regulamento, os clubes têm que estar satisfeitos. O regulamento tem de ser cumprido e garante adquirir até 10% da carga total. O acordo feito atende, disse Lásaro.
Para os atleticanos, as entradas custarão R$ 50, R$ 80 e R$ 120. Já os cruzeirenses terão de desembolsar de R$ 50 a R$ 170. Os bilhetes da Minas Arena custam de R$ 170 a R$ 280.
O comandante do Policiamento Especializado da Polícia Militar, Ricardo Machado, explica que o esquema de segurança será semelhante ao adotado nas finais da Copa do Brasil.
A Polícia Militar teve uma experiência exitosa em questão da segurança. Vamos manter e acompanhando de perto o deslocamento dos torcedores, sobretudo das torcidas organizadas, destaca.
Uma reunião na tarde desta quinta com o comando de policiamento capital vai definir o efetivo de militares para a partida.

print
Comentários

Sobre o autor

André Ribeiro

Designer do portal Últimas Notícias, especializado em ricas experiências de interação para a web. Tecnófilo por natureza e apaixonado por design gráfico. É graduado em Bacharelado em Sistemas de Informação pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais.

Clássico Mineiro não terá torcidas divididas

Clima da reunião foi diferente das antes das finais da Copa do Brasil do ano passado, quando os dois clubes brigaram por bilhetes.

Clima da reunião foi diferente das antes das finais da Copa do Brasil do ano passado, quando os dois clubes brigaram por bilhetes.

 

Não será desta vez que o maior clássico do futebol Mineiro terá a volta das torcidas divididas. Em reunião na sede da Federação Mineira de Futebol, na quarta-feira (4), ficou definido que o jogo entre Cruzeiro e Atlético, no Mineirão, terá apenas 10% da carga total de ingressos destinadas à torcida alvinegra. Com isso, serão disponibilizados 6.043 dos 60.000 bilhetes colocados à venda para os atleticanos.

O jogo começa às 16h e é válido pela sexta rodada do Estadual. A torcida do Atlético ficará nos setores superior roxo, superior norte laranja e inferior norte laranja. A capacidade total do estádio é de 62.170, no entanto, por medidas de segurança, alguns setores serão bloqueados para o isolamento das duas torcidas.

O clima da reunião foi diferente dos episódios protagonizados durante as finais da Copa do Brasil do ano passado, quando os dois clubes protagonizaram uma briga pelos percentuais dos ingressos das duas partidas. Membros dos Bombeiros, Polícias Militar e Civil, Ministério Público e Minas Arena também participaram do encontro.

Mandante do confronto, o Cruzeiro foi representado pelo gerente de futebol Valdir Barbosa e o supervisor Benecy Queiroz. Valdir entende que a decisão agradou ao clube celeste.

“Não teve nenhum atrito, foi tranquila. Definiu-se o lógico entre Cruzeiro e Atlético. As autoridades acataram tudo. Agora é ir para o jogo e que vença o melhor. Em relação ao ano passado, não houve o cumprimento do acordo. Agora está tranquilo. A gente havia acertado verbalmente com o Atlético e o acordo será cumprido”, afirma.

Pelo lado do Atlético, compareceram o diretor jurídico Lásaro Cândido, a diretora-executiva Adriana Branco e o advogado Lucas Ottoni. Conforme prevê o Estatuto do Torcedor, o clube têm até às 16h desta quarta para solicitar os bilhetes disponibilizados pela equipe mandante.

Apesar de dizer que a proposta ainda está em análise, sobretudo em relação aos preços e posicionamento dos setores, Lásaro afirma que o Galo saiu satisfeito da reunião.

“Quando se cumpre o regulamento, os clubes têm que estar satisfeitos. O regulamento tem de ser cumprido e garante adquirir até 10% da carga total. O acordo feito atende”, disse Lásaro.

Para os atleticanos, as entradas custarão R$ 50, R$ 80 e R$ 120. Já os cruzeirenses terão de desembolsar de R$ 50 a R$ 170. Os bilhetes da Minas Arena custam de R$ 170 a R$ 280.

O comandante do Policiamento Especializado da Polícia Militar, Ricardo Machado, explica que o esquema de segurança será semelhante ao adotado nas finais da Copa do Brasil.

“A Polícia Militar teve uma experiência exitosa em questão da segurança. Vamos manter e acompanhando de perto o deslocamento dos torcedores, sobretudo das torcidas organizadas”, destaca.

Uma reunião na tarde desta quinta com o comando de policiamento capital vai definir o efetivo de militares para a partida.

Redação do Jornal Nova Imprensa O Tempo

Comentários

Sobre o autor

André Ribeiro

Designer do portal Últimas Notícias, especializado em ricas experiências de interação para a web. Tecnófilo por natureza e apaixonado por design gráfico. É graduado em Bacharelado em Sistemas de Informação pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais.

Últimas Notícias