Redação Últimas Notícias

O 5º Pelotão do Corpo de Bombeiros realizou na noite desse domingo (9), mais um resgate de animal silvestre. A ação foi registrada por volta das 22h em uma residência no bairro Santo Antônio em Formiga.

De acordo com o comandante do Cobom, o tenente Mateus Campos Cunha, ao chegar em casa à noite, a solicitante se deparou com uma cobra-coral na cozinha da residência.

“Quando os militares chegaram no local perceberam que a cobra era da espécie coral e tinha aproximadamente 50 centímetros. Usando equipamentos adequados para a atividade, os bombeiros conseguiram realizar a captura da serpente. Posteriormente, o animal foi levado para uma região de mata afastada de residências para ser solto no seu habitat natural”, informou o comandante

A cobra-coral é uma denominação comum para várias serpentes da família Elapidae, da tribo Calliophini. A cobra-coral-venenosa apresenta uma peçonha de baixo peso molecular que se espalha pelo organismo da vítima de forma muito rápida, sendo ela tão peçonhenta quanto uma cobra da espécie naja. A peçonha da cobra-coral é neurotóxica, ou seja, atinge o sistema nervoso, causando dormência na área da picada, problemas respiratórios (sobretudo no diafragma) e caimento das pálpebras, podendo levar uma pessoa adulta ao óbito em poucas horas. O tratamento é feito com o soro antielapídico.

“O Corpo de Bombeiros reitera à população a orientação, para caso de aparecimento de serpentes, a manterem distância do animal, porém sem perde-la de vista e não tentar realizar a captura do animal por própria conta, acionado para isso o Corpo de Bombeiros Militar pelo número 193”, frisou o tenente Mateus.

Em janeiro, cinco serpentes foram resgatadas na região. Em Formiga uma cobra verde (Philodryasolfersii) duas cobras da Cipó-Marrom (Chironius Quadricarinatus) foram resgatadas em residências nos bairro Rosa Mística e Mangabeiras. Em Córrego Fundo o Cobom realizou o resgate de duas jiboias nas comunidade de Sobradinho e Falhas. Em pains uma cascavel foi resgatada na balança do DEER/MG.

Altas temperaturas

Os registros de resgate de serpentes são maiores nas estações quentes. De acordo com biólogos, a temperatura externa é essencial para as atividades do réptil. Durante o período frio as serpentes hibernam e no calor elas saem das tocas em busca de comida e parceiros para reprodução.

Aumenta números de resgate

Mais de 100 animais silvestres foram resgatados pelo 5º Pelotão do Corpo de Bombeiros em áreas urbanas no ano passado. Um aumento de 14,5% em relação a 2018, quando foram resgatados 72 animais.

Imprimir
Comentários