Com um futebol em evolução, frio quando necessário, e explosivo quando exigido, o Brasil venceu o México por 2 a 0, nesta segunda-feira (2), em Samara, pelas oitavas de final da Copa do Mundo. Neymar, o melhor em campo, e Firmino fizeram os gols brasileiros, todos na segunda etapa.

A seleção espera agora o resultado do confronto entre Bélgica e Japão, em Rostov, para conhecer seu adversário nas quartas de final do torneio. O confronto já tem data e hora. Será na próxima sexta-feira, às 15h (horário de Brasília), em Kazan. Os mexicanos, tão carismáticos, mais uma vez, morrem numa oitava de final de Copa, a sétima seguida.

No jogo, por coerência, Tite manteve a base do time do último jogo, com Filipe Luís de titular na lateral esquerda. Marcelo não estava bem fisicamente. Mesmo sob um calor de 35°C e a umidade baixa, a partida se desenhou rápida e pegada, com o México tomando a iniciativa de buscar o ataque, especialmente, no começo do jogo. A seleção, por sua vez, preferia cadenciar o jogo. Ela queria a bola no pé, trocar passes. É assim seu futebol.

Tecnicamente bem afiada pelo técnico Juan Carlos Osorio, a equipe mexicana usou os lados do campo e a velocidade do trio Lozano, Vela e Chicharito para incomodar. Empolgada e aparentemente em maioria, a torcida do México gritou olé com 6 minutos. É mole?

Depois de uma metade de primeiro tempo pouco inspirada, o Brasil começou a se soltar, aproveitando-se da habilidade de Neymar no último terço do campo. Foi dele o arremate aos 24 minutos, defendido incrivelmente por Ochoa. Philippe Coutinho também teve a chance dele, aos 26. Gabriel Jesus, mais participativo desta vez, também conseguia encontrar os espaços e teve sua chance.

A seleção manteve a batida na segunda etapa, obrigando Ochoa a fazer outra importante defesa com 2 miutos. Mas é no talento que o Brasil encontraria seu gol. Calcanhar de Neymar pra Willian, que arrancou e deu de volta pro craque empurrar para as redes. O gol do merecimento, aos 5 min. Ney mandou um “shhh” pra torcida adversária.

O time mexicano sentiu o golpe. Ochoa, de novo, ele, pegou a de Paulinho, de cara pra ele, aos 13 minutos e a de Willian, aos 17 min. Que goleiraço! O jogo seguiu com a tensão moderada, já que Alisson pouco era exigido. Ao mesmo tempo, o Brasil conseguia novas descidas, com chances para matar o jogo, o que aconteceu só aos 42 min. Assistência de Neymar, o nome do jogo, para Firmino, que acabara de entrar, para assinalar o 2 a 0.

A partida ainda ficaria marcada por um pisão de Layún em Neymar, fora do campo. O árbitro Gianluca Rocchi poderia até ter pedido o VAR para rever o lanche, mas não o fez.

Com um futebol em evolução, frio quando necessário, e explosivo quando exigido, o Brasil venceu o México por 2 a 0, nesta segunda-feira (2), em Samara, pelas oitavas de final da Copa do Mundo. Neymar, o melhor em campo, e Firmino fizeram os gols brasileiros, todos na segunda etapa.

A seleção espera agora o resultado do confronto entre Bélgica e Japão, em Rostov, para conhecer seu adversário nas quartas de final do torneio. O confronto já tem data e hora. Será na próxima sexta-feira, às 15h (horário de Brasília), em Kazan. Os mexicanos, tão carismáticos, mais uma vez, morrem numa oitava de final de Copa, a sétima seguida.

No jogo, por coerência, Tite manteve a base do time do último jogo, com Filipe Luís de titular na lateral esquerda. Marcelo não estava bem fisicamente. Mesmo sob um calor de 35°C e a umidade baixa, a partida se desenhou rápida e pegada, com o México tomando a iniciativa de buscar o ataque, especialmente, no começo do jogo. A seleção, por sua vez, preferia cadenciar o jogo. Ela queria a bola no pé, trocar passes. É assim seu futebol.

Tecnicamente bem afiada pelo técnico Juan Carlos Osorio, a equipe mexicana usou os lados do campo e a velocidade do trio Lozano, Vela e Chicharito para incomodar. Empolgada e aparentemente em maioria, a torcida do México gritou olé com 6 minutos. É mole?

Depois de uma metade de primeiro tempo pouco inspirada, o Brasil começou a se soltar, aproveitando-se da habilidade de Neymar no último terço do campo. Foi dele o arremate aos 24 minutos, defendido incrivelmente por Ochoa. Philippe Coutinho também teve a chance dele, aos 26. Gabriel Jesus, mais participativo desta vez, também conseguia encontrar os espaços e teve sua chance.

A seleção manteve a batida na segunda etapa, obrigando Ochoa a fazer outra importante defesa com 2 miutos. Mas é no talento que o Brasil encontraria seu gol. Calcanhar de Neymar pra Willian, que arrancou e deu de volta pro craque empurrar para as redes. O gol do merecimento, aos 5 min. Ney mandou um “shhh” pra torcida adversária.

O time mexicano sentiu o golpe. Ochoa, de novo, ele, pegou a de Paulinho, de cara pra ele, aos 13 minutos e a de Willian, aos 17 min. Que goleiraço! O jogo seguiu com a tensão moderada, já que Alisson pouco era exigido. Ao mesmo tempo, o Brasil conseguia novas descidas, com chances para matar o jogo, o que aconteceu só aos 42 min. Assistência de Neymar, o nome do jogo, para Firmino, que acabara de entrar, para assinalar o 2 a 0.

A partida ainda ficaria marcada por um pisão de Layún em Neymar, fora do campo. O árbitro Gianluca Rocchi poderia até ter pedido o VAR para rever o lanche, mas não o fez.

(Foto: KIRILL KUDRYAVTSEV/afp)

IMPRIMIR

Fonte:

Hoje em Dia