Com gols no fim, Cruzeiro e Atlético ficam no empate

Rivais empatam por 1 a 1 em duelo ‘morno’ e com lance infeliz do goleiro Fábio

Rivais empatam por 1 a 1 em duelo 'morno' e com lance infeliz do goleiro Fábio

Em um clássico ?morno? no Dia Internacional da Mulher e com emoções reservadas para o fim, Cruzeiro e Atlético empataram por 1 a 1, neste domingo, no Mineirão, pelo Campeonato Mineiro. Rafael Carioca abriu o placar para o Galo, em lance infeliz do goleiro Fábio, que chutou a bola nas costas do lateral Patric, e Leandro Damião igualou para o time celeste, mostrando a marca do artilheiro.

O resultado foi mais interessante para o Cruzeiro, que manteve a liderança do Mineiro, com 14 pontos. O Atlético, que deu a impressão de que conseguiria tomar a ponta do rival, permaneceu em segundo, com 13. Mas o time alvinegro ampliou a série invicta diante do arquirrival para nove partidas ? cinco vitórias e quatro empates. O último triunfo celeste ocorreu no primeiro turno do Brasileiro de 2013, quando ganhou por 4 a 1.

Mesmo com a necessidade de vitória para afastar a desconfiança das torcidas em função dos últimos resultados ruins, especialmente na Copa Libertadores, Cruzeiro e Atlético tiveram atuação burocrática e o clássico só cresceu em emoção depois da segunda metade da etapa final, quando saíram os gols. O Galo aproveitou uma infelicidade do goleiro Fábio e balançou as redes com Rafael Carioca. Depois, Leandro Damião deixou a marca de artilheiro e livrou o time celeste da derrota.

O Cruzeiro volta a campo nesta quarta-feira, diante do Villa Nova, na Arena do Jacaré, em Sete Lagoas, para manter a liderança do Campeonato Mineiro. Já o Atlético terá pela frente a Caldense, quinta-feira, no Ronaldão, em Poços de Caldas, em duelo direto pela vice-liderança.

O jogo

O primeiro tempo foi marcado pela pouca efetividade dos times no setor ofensivo. Cruzeiro e Atlético optaram por um meio-campo reforçado, mas com pouca mobilidade. O time celeste teve em Marquinhos, caindo pela direita, uma boa peça de frente, dando trabalho para o lateral-esquerdo Douglas Santos. Já o Galo contou com Luan mais centralizado, cuidando da armação, sem no entanto se entender com os homens de frente.

Com dificuldades de penetração na área, os times apostavam nos chutes de longe. Na primeira vez que conseguiu chegar com mais objetividade, o Cruzeiro assustou. Leandro Damião cruzou e Willian pegou de primeira, nas mãos de Victor. No lance seguinte, Marquinhos pegou rebote e arrematou com perigo, à direita da meta alvinegra.

No lado alvinegro, a melhor oportunidade ficou na chamada ?bola parada?, um dos pontos fortes da equipe. Dodô cobrou escanteio pela direita e Jemerson cabeceou para grande intervenção de Fábio. No rebote, o zagueiro ainda completou e o goleiro se atirou para evitar o gol. No fim, o Cruzeiro chegou bem com Marquinhos, que cruzou e Leandro Damião concluiu prensado com a defesa.

Um primeiro tempo de muita marcação e poucas emoções das duas equipes, que não corresponderam. ?Em um clássico equilibrado as oportunidades são raras e temos de aproveitar as que surgirem?, recomendou Victor. ?Tivemos volume, ficamos em cima deles, mas temos que ter paciência. Qualquer hora a bola vai entrar?, projetou Marquinhos.

IMPRIMIR

Sobre o Autor

André Ribeiro

Designer do portal Últimas Notícias, especializado em ricas experiências de interação para a web. Tecnófilo por natureza e apaixonado por design gráfico. É graduado em Bacharelado em Sistemas de Informação pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais.

Com gols no fim, Cruzeiro e Atlético ficam no empate

Rivais empatam por 1 a 1 em duelo ‘morno’ e com lance infeliz do goleiro Fábio.

Rivais empatam por 1 a 1 em duelo 'morno' e com lance infeliz do goleiro Fábio.

 

Em um clássico ‘morno’ no Dia Internacional da Mulher e com emoções reservadas para o fim, Cruzeiro e Atlético empataram por 1 a 1, neste domingo, no Mineirão, pelo Campeonato Mineiro. Rafael Carioca abriu o placar para o Galo, em lance infeliz do goleiro Fábio, que chutou a bola nas costas do lateral Patric, e Leandro Damião igualou para o time celeste, mostrando a marca do artilheiro.

O resultado foi mais interessante para o Cruzeiro, que manteve a liderança do Mineiro, com 14 pontos. O Atlético, que deu a impressão de que conseguiria tomar a ponta do rival, permaneceu em segundo, com 13. Mas o time alvinegro ampliou a série invicta diante do arquirrival para nove partidas – cinco vitórias e quatro empates. O último triunfo celeste ocorreu no primeiro turno do Brasileiro de 2013, quando ganhou por 4 a 1.

Mesmo com a necessidade de vitória para afastar a desconfiança das torcidas em função dos últimos resultados ruins, especialmente na Copa Libertadores, Cruzeiro e Atlético tiveram atuação burocrática e o clássico só cresceu em emoção depois da segunda metade da etapa final, quando saíram os gols. O Galo aproveitou uma infelicidade do goleiro Fábio e balançou as redes com Rafael Carioca. Depois, Leandro Damião deixou a marca de artilheiro e livrou o time celeste da derrota.

O Cruzeiro volta a campo nesta quarta-feira, diante do Villa Nova, na Arena do Jacaré, em Sete Lagoas, para manter a liderança do Campeonato Mineiro. Já o Atlético terá pela frente a Caldense, quinta-feira, no Ronaldão, em Poços de Caldas, em duelo direto pela vice-liderança.

 

O jogo

O primeiro tempo foi marcado pela pouca efetividade dos times no setor ofensivo. Cruzeiro e Atlético optaram por um meio-campo reforçado, mas com pouca mobilidade. O time celeste teve em Marquinhos, caindo pela direita, uma boa peça de frente, dando trabalho para o lateral-esquerdo Douglas Santos. Já o Galo contou com Luan mais centralizado, cuidando da armação, sem no entanto se entender com os homens de frente.

Com dificuldades de penetração na área, os times apostavam nos chutes de longe. Na primeira vez que conseguiu chegar com mais objetividade, o Cruzeiro assustou. Leandro Damião cruzou e Willian pegou de primeira, nas mãos de Victor. No lance seguinte, Marquinhos pegou rebote e arrematou com perigo, à direita da meta alvinegra.

No lado alvinegro, a melhor oportunidade ficou na chamada ‘bola parada’, um dos pontos fortes da equipe. Dodô cobrou escanteio pela direita e Jemerson cabeceou para grande intervenção de Fábio. No rebote, o zagueiro ainda completou e o goleiro se atirou para evitar o gol. No fim, o Cruzeiro chegou bem com Marquinhos, que cruzou e Leandro Damião concluiu prensado com a defesa.

Um primeiro tempo de muita marcação e poucas emoções das duas equipes, que não corresponderam. “Em um clássico equilibrado as oportunidades são raras e temos de aproveitar as que surgirem”, recomendou Victor. “Tivemos volume, ficamos em cima deles, mas temos que ter paciência. Qualquer hora a bola vai entrar”, projetou Marquinhos.

Redação do Jornal Nova Imprensa Superesportes

Sobre o Autor

André Ribeiro

Designer do portal Últimas Notícias, especializado em ricas experiências de interação para a web. Tecnófilo por natureza e apaixonado por design gráfico. É graduado em Bacharelado em Sistemas de Informação pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais.

Deixe um comentário!

Atenção! Os comentários do portal Últimas Notícias são via Facebook, se deseja comentar esteja logado. Lembre-se que os comentários são de inteira responsabilidade dos autores e não representam a nossa opinião.

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!