Mais de sete meses após a demolição da estrutura do Parque Municipal Dr. Leopoldo Corrêa, popularmente conhecido como Praia Popular, que ocorreu no início de setembro, a administração municipal não conseguiu ainda explicar os motivos reais que a levaram a tomar a conturbada decisão que continua sendo alvo de críticas da comunidade.
Em algumas oportunidades, Moacir Ribeiro afirmou que havia uma instrução do Corpo de Bombeiros após a vistoria, onde foram encontradas várias irregularidades que poderiam colocar a integridade física de usuários do local em risco, recomendando tal atitude. O polêmico assunto voltou a ser comentado pelo prefeito na quinta-feira (17) durante entrevista na rádio Líder e na Câmara, durante a reunião de terça-feira (22) pelo vereador Mauro César: ?O prefeito vai na rádio e ao ser indagado pela população, a respeito da demolição da Praia Popular, destruindo sonhos e o lazer das famílias de Formiga diz que ela precisava de reformas. Com isto concordo, reforma sim, destruição, não. O senhor disse que o Corpo de Bombeiros lhe mandou uma carta recomendando a destruição. Então, que seja enviado um questionamento ao comando do Corpo de Bombeiros para saber se houve mesmo uma carta de lá, recomendando a destruição da Praia Popular, o que eu duvido! Se houve, que a cópia desta carta seja dita aqui. Porque se não, prefeito, nós vamos apurar e comprovar que o senhor é mentiroso e destruidor da nossa cidade?.
Diante da fala do vereador, o Comandante do 7º Pelotão de Bombeiros Militar, 2º Tenente Mateus Campos Cunha enviou na tarde de quarta-feira (23) nota de esclarecimento, negando qualquer parecer ou indicação por parte da corporação para que o parque fosse demolido.
No documento, são elencados 8 pontos que esclarecem o trabalho de vistoria realizado pelo Corpo de Bombeiros, no dia 6 de fevereiro de 2013, e o que constava no relatório que, em nenhum momento sugeriu a necessidade de demolição. Segundo a nota, a análise a respeito da estrutura, caberia a um engenheiro civil e/ou agente da Defesa Civil.
O comandante esclarece ainda, que na época, a Prefeitura foi advertida sobre a necessidade de regularização das medidas e equipamentos de segurança contra incêndio e pânico que estavam ausentes ou inadequados na edificação. Segundo a nota, este é o papel do Corpo de Bombeiros, advertir, multar responsáveis ou interditar os locais, caso seja necessário. Não sendo de responsabilidade da corporação, prestar qualquer tipo de assessoria.
O 2º Tenente explica ainda, que toda a documentação referente à citada vistoria (Registro de Evento de Defesa Social ? Reds) está arquivada na sede do Corpo de Bombeiros. O documento é encerrado mais uma vez, com a informação de que ?não houve nenhuma indicação, parecer, ou outro documento que indicasse alguma avaliação da parte estrutural do Parque?.

Relembrando
Sobre este assunto, no dia 18 de janeiro deste ano, a Prefeitura divulgou nota à respeito, conforme se segue:
?Nota de Esclarecimento 02/2014
A Prefeitura de Formiga teve de retirar a estrutura que havia na Praia Popular porque ela estava completamente deteriorada e apresentava risco comprovado de desabamento. Além disso, vinha servindo como ponto de uso e tráfico de drogas.
A administração está buscando recursos junto ao Ministério do Turismo para construir uma nova Praia Popular, uma vez que a arrecadação dos municípios caiu drasticamente e a tentativa de ajustar o sistema tributário da cidade foi reprovada pela Câmara Municipal?.

Imprimir
Comentários