Da Redação

O ano de 2019 não tem sido nada animador para empresários, funcionários e principalmente para quem pretende buscar emprego em um dos principais setores da economia formiguense: o comércio.

A queda nas vendas provocada pela crise econômica pela qual passa o país nos últimos anos e pela desconfiança do consumidor tem levado ao fechamento de muitas lojas e na consequente demissão de funcionários.

Tal situação se torna evidente quando são observados os resultados da geração de empregos na cidade neste ano. De janeiro a abril, de acordo com dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) divulgados pelo Ministério da Economia, foram 550 contratações e 669 demissões no setor. O pior resultado foi registrado no mês de março, quando o saldo foi de 42 vagas de trabalho fechadas (135 contratações e 180 demissões).

O quarto mês do ano, apesar dos resultados negativos, foi o melhor até agora, com um saldo negativo de apenas 7 vagas.

Resultados gerais
Em resultados gerais, o mês de abril foi de recuperação, com saldo positivo no município. Foram 607 contratações e 583 desligamentos no período. O setor com melhor resultado foi o de serviços, com 203 contratações e 172 desligamentos.

Brasil
Beneficiada pelos serviços e pela indústria, a criação de empregos com carteira assinada atingiu, em abril, o maior nível para o mês em seis anos. Segundo dados divulgados pelo Caged, do Ministério do Trabalho, 129.601 postos formais de trabalho foram criados no último mês. O indicador mede a diferença entre contratações e demissões.
A última vez em que a criação de empregos tinha superado esse nível foi em abril de 2013, quando as admissões superaram as dispensas em 196.913. A criação de empregos totaliza 313.835 de janeiro a abril e 477.896 nos últimos 12 meses.

 

 

Fonte: Com informações da Agência Brasil||

Imprimir

Comentários