Cinco testemunhas de defesa do prefeito Aluísio Veloso/PT na CPI da Comunicação deram seus depoimentos nesta quinta-feira (22), na Câmara Municipal. Participaram ainda os membros da Comissão Processante: José Geraldo da Cunha (Cabo Cunha/PMN) (presidente), Rosimeire Mendonça (Meirinha/PMDB) (relatora) e Edmar Ferreira/PT (membro), além do assessor jurídico do Legislativo, Antônio Monteiro Júnior.
O primeiro a prestar depoimento foi o assessor jurídico da Prefeitura, Carlos Henrique Vespúcio. ?Em 2005, a Secretaria de Comunicação se resumia a publicar o jornal A Cidade. Reunindo com o setor de licitação e com a própria pasta, chegou-se a intenção de regularizar esta área. Surgiu então a ideia de utilizar de uma agência de publicidade. Então foi formatado um edital de concorrência de licitação para a prestação de serviços na modalidade concorrência, sendo uma atitude administrativa nova na região, queríamos nos resguardar de quaisquer tipos de questionamento. Várias prefeituras da região vieram até Formiga para aprender como se fazia a licitação para a contratação de agência de publicidade?, explicou.
Em seguida, foi a vez de o ex-funcionário da Secretaria de Comunicação Welerson Andrade prestar o seu depoimento. De acordo com o depoente, foi designado a ele apresentar o programa Bom Dia Cidade. ?A pauta era basicamente ligada ao site da Prefeitura e ao jornal A Cidade. Era um programa informativo e eu não expressava a minha opinião?.
Luciana Alves, que era responsável pelo setor de licitação da Prefeitura de 2005 até janeiro deste ano, ressaltou que o setor sempre teve o cuidado de analisar todos os processos e observar a Lei. ?Sempre agimos com transparência, observando a legalidade. O prefeito sempre foi muito imparcial. Ele nunca foi lá no setor para pedir que déssemos preferência a algum empresa em processos licitatórios?.
A quarta testemunha foi o ex-secretário de Comunicação, Túlio Fonseca, que apenas destacou que, na época, não foi ouvido pela CPI sobre os levantamentos das denúncias.
Por último, a ex-candidata a prefeita Joice Alvarenga explanou sobre o assunto. ?Eu considero sem fundamento a parte colocada em que o prefeito usou veículos de comunicação para fazer promoção pessoal, pois eu nem era ainda pré-candidata a prefeita. Isso significa que, se de fato, o prefeito quisesse alguma promoção pessoal teria, por exemplo, nomeado a pré-candidata como secretária de Desenvolvimento Humano. Todas às vezes que o prefeito tornou público o apoio à candidatura o fez por meio do site do PT. O fato do prefeito ter declarado apoio a uma pré-candidata do partido é perfeitamente justificado e normal?concluiu.
Na próxima terça-feira (27), às 9h30, será a vez do prefeito Aluísio Veloso prestar seu depoimento para a Comissão Processante. As testemunhas de defesa que não compareceram foram: o deputado federal, Odair Cunha; Rodrigo de Campos Chiaradia; Gustavo Soares de Oliveira Prata; Tarcísio Flávio de Jesus e Luciene Morais Teixeira.

IMPRIMIR