Gleiton Arantes/ Lorene Pedrosa

Tão logo o portal Últimas Notícias divulgou no fim da tarde dessa terça-feira (3), notícia sobre  as condições das estradas das comunidades rurais de Nova Zelândia e São Pedro, em Formiga, moradores de outras comunidades entraram em contato e enviaram fotos de situações ainda piores.

É o caso de Boa Esperança e Frazões, onde, segundo informações dos moradores, as crianças não estão conseguindo ir às aulas, o médico não está conseguindo chegar à localidade para fazer os atendimentos no posto de saúde e o ônibus da viação também não chega devido às condições em que as estradas ficaram após as chuvas que iniciaram no fim de semana passado.

Nessa quarta-feira (4), segundo informou uma funcionária da viação, a viagem do ônibus que faz a linha até as duas comunidades rurais e sai de Formiga às 14h não foi cancelada, mas o veículo prosseguiria até onde fosse possível.

E a situação não estava boa nem durante a estiagem. “Era possível atolar na poeira da estrada antes da chuva e era óbvio que quando a chuva chegasse o resultado seria esse”, comentou uma das denunciantes.

Quem tentou passar pelas estradas de acesso, como no caso das comunidades de São Pedro e Nova Zelândia, teve mesmo que contar com a ajuda de outros veículos pesados ou de máquinas para desatolarem os veículos.

Em um dos posts feitos nas redes sociais, uma moradora comenta que a situação é a mesma nas comunidades de Timóteo e Retiro e que um caminhão de uma grande empresa de leite e derivados ficou atolado na terça-feira em uma das estradas, carregado com 10 mil litros de leite.

A população das duas comunidades afirma que a região está abandona faz tempo e que espera que algo seja feito para que tenha condições de, pelo menos, trafegar novamente pelas estradas.

Suspensão das aulas

O problema de acesso dos alunos às aulas afeta estudantes de várias outras comunidades.

O portal fez um levantamento nas escolas municipais, localizadas na zona rural, para saber como está o fluxo de alunos e se as aulas estão acontecendo ou não.

Na comunidade de Boa Esperança, os alunos da Escola Municipal Haydée Garcia Guerzoni tiveram aula apenas na segunda-feira (2). Nessa terça e quarta-feira (3 e 4) as aulas foram suspensas. Devido a situação nas estradas, os veículos que transportam os estudantes não estão conseguindo chegar até o estabelecimento de ensino.

Na Escola Municipal José João de Melo, na Fazenda Velha, as aulas estão ocorrendo normalmente, porém, cerca de 10% dos alunos não conseguiram chegar à escola.

No distrito de Ponte Vila, a Escola Florêncio Rodrigues Nunes contou com a frequência de cerca de 50 % de alunos nessa terça-feira. A situação das estradas melhorou nessa quarta e a participação de estudantes aumentou na escola, que nesta semana está aplicando provas de recuperação.

Na Escola José Antônio do Couto, em Albertos, mais de 50% dos alunos não compareceram às aulas na terça-feira, já nesta quarta, devido à estiagem, apenas duas kombis não conseguiram chegar até a escola. “É preciso jogar mesmo que seja brita nas estradas, pois a situação está crítica. Na segunda-feira precisei ir para Formiga pois não tinha condições de voltar para a minha casa que fica em outra comunidade rural”, disse uma professora.

Na Prefeitura

De acordo com o secretário-adjunto de Obras, José Ronaldo do Couto, na quarta-feira a pasta iniciou a manutenção nas estradas da comunidade Boa Esperança. Segundo ele, os buracos estão sendo cobertos com brita e, tão logo o serviço seja concluído, a equipe da pasta será direcionada para outra região.

Atendimento médico

Devido às dificuldades de acesso que impede o atendimento dos médicos nas comunidades, a Secretaria de Saúde informou que os moradores podem ser atendidos em qualquer Programa de Saúde da Família (PSF) da zona urbana, que funcionam entre as 7h e às 17h.

 

Atualizada às 17h15

Imprimir

Comentários