A Secretaria de Estado de Saúde (SES) confirmou, nesta sexta-feira (10), que primatas contaminados com o vírus da febre amarela foram encontrados mortos na Região Metropolitana de Belo Horizonte. Segundo a pasta, os exames deram positivo em animais recolhidos em Belo Horizonte, Betim e Contagem. Houve ainda registros em Bocaiuva (Norte), Poços de Caldas (Sul de Minas), Curvelo (Norte) e Japaraíba (Centro-Oeste).

Apesar da confirmação da circulação do vírus da febre amarela em primatas não humanos nestas cidades, não há notificação de casos de febre amarela em humanos na Grande BH ou nas demais cidades onde foram encontrados os macacos contaminados.

A secretaria enfatizou que os macacos não transmitem a febre amarela para o homem e não são os responsáveis pela transmissão da doença. Eles são, na verdade, indicadores importantes para vigilância da febre amarela, por adoecerem primeiro e fornecerem informações valiosas sobre a circulação do vírus).

A notificação da morte ou mesmo de macacos doentes pode ser realizada por qualquer indivíduo na Secretaria Municipal de Saúde (SMS) de cada cidade para que as devidas providências possam ser tomadas.

A SES esclareceu ainda que estão sendo realizadas diversas ações de prevenção da febre amarela desde o início da notificação de epizootia (morte de primatas).

Registro da doença

Minas Gerais já tem quase mil casos notificados de febre amarela em 2017. Segundo o boletim epidemiológico divulgado pela SES-MG na quinta-feira (9), desde o dia 1º de janeiro deste ano foram registrados 954 pacientes com os sintomas da doença. Desse total, 54 foram descartados e 195 confirmados.

Os óbitos também não param de crescer. Até agora, há 161 mortes suspeitas e 68 comprovadas. Entre as confirmadas, 88,2% foram do sexo masculino, com média de idade de 45,5 anos.

Imunização

Para conter o avanço da doença, a secretaria distribuiu 4.990.400 doses de vacina. Dados fornecidos pelas Unidades Regionais de Saúde mostram que já foram aplicadas 2.467.994 doses no Estado, sendo 1.411.693 doses nos municípios com surto de febre amarela.

 

Fonte: Hoje em dia ||

Imprimir

Comentários