A campanha ?O que os olhos não veem, os ouvidos sentem?, lançada pelo Conselho Comunitário de Segurança Pública (Consep) no sábado (18) terá continuidade.
O objetivo é conscientizar as pessoas de que a poluição sonora prejudica a saúde, além de criar problemas de relacionamento em ambientes sociais e entre vizinhos.
Outro aspecto da campanha é também sensibilizar as autoridades públicas para uma ação mais enérgica sobre um problema que vem crescendo de forma alarmante, além de ser uma oportunidade para desfazer a falsa crença de que a poluição sonora/perturbação do sossego seria uma coisa ?normal? e sem qualquer repreensão.
A iniciativa tem o intuito de promover a paz social e da segurança pública por meio da conscientização dos direitos e deveres relacionados à poluição sonora.
O Conselho esclarece que, de acordo com a legislação vigente, quem produz ruído excessivo pode ser punido. Já as vítimas do barulho, seja ele produzido por empresas, vizinhos, sons de veículos ou qualquer outro tipo, devem denunciar. A Polícia Militar e a Polícia Civil de Formiga são parceiras da ação do Consep e estão aptas a agir mediante as denúncias.
Ações
Dez voluntários do Consep e quatro policiais militares participaram diretamente do lançamento da campanha. A primeira ação ocorreu na rua Bernardes de Faria, no Centro, onde foram distribuídos panfletos e bótons adesivos e exposta uma faixa com informações sobre a poluição sonora. A segunda ação foi promovida na tarde de sábado, em frente ao acesso a Furnastur.
A campanha contou ainda com ampla cobertura da mídia local, sendo noticiada em sites, jornais, rádios e televisão.
O Consep agradece a todos que participaram diretamente ou que apoiaram as primeiras ações de prevenção e combate à poluição sonora.

Imprimir
Comentários