De janeiro a abril de 2010, o número de empregos em Formiga na construção civil resultou em 1.226 contratações contra 726 demissões, um saldo de 500 empregos formais. As informações são do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgadas no dia 17 deste mês, pelo Ministério do Trabalho e Emprego (MTE).
Em segundo lugar na geração de empregos no município ficou a agropecuária, com 124 admissões e 41 demissões, um saldo de 83 empregos. No primeiro quadrimestre de 2010, foram 244 admissões e 180 demissões, um saldo total de 64. Em seguida, vem serviços, com 162 admissões e 101 demissões, um saldo de 61 empregos em abril. Nos quatro primeiros meses de 2010, foram 615 admissões contra 415 demissões no setor, um saldo de 200 empregos.
A administração pública contou com 67 admissões contra 13 demissões em abril, um saldo de 54 empregos. De janeiro a abril, o número de admissões na área foi de 276 e houve 38 demissões, um saldo de 238 empregos. O comércio ficou em 5º lugar na geração de empregos no mês de abril, com 167 admissões e 119 demissões, um saldo de 48 empregos. No primeiro quadrimestre de 2010, foram 642 admissões e 589 demissões, um saldo de 53 empregos.
Em contrapartida, as áreas que tiveram saldo negativo foram a indústria de transformação, com 172 admissões e 205 demissões, um saldo negativo de 33 vagas, porém, nos quatro primeiros meses do ano, foram 821 admissões contra 714 demissões, um saldo de 107 empregos, e a extração mineral com nenhuma admissão em abril de 2010, contra duas demissões, um saldo -2. No quadrimestre, foram duas admissões e 9 demissões, um saldo de -7.
Em abril, o saldo total das atividades econômicas em Formiga teve o seguinte resultado: 1.050 admissões contra 656 demissões, um saldo de 394 empregos. Nos quatro primeiros meses de 2010 foram 3.826 admissões e 2.671 demissões, um saldo de 1.155 empregos.

Em Minas
Em Minas Gerais, a atividade que mais gerou empregos com carteira assinada no mês de abril foi a agropecuária, que apresentou uma taxa de crescimento de 5,05%. O setor foi responsável pela criação de 13.567 novos postos de trabalho no Estado. Durante o mês passado, Minas criou 45.030 novos empregos, com alta de 1,25%, acumulando no primeiro quadrimestre do ano a geração de 132.829 novos cargos e uma taxa positiva de 3,79%.
De acordo com o Caged, nos últimos 12 meses o índice de emprego no Estado cresceu 6,6%, ou seja, foram contratados mais 226.580 trabalhadores. O segundo setor, em percentual, que mais contribuiu para a criação de empregos, foi a construção civil puxada pelos investimentos públicos em infraestrutura em todo o Estado.

Imprimir
Comentários