Como é possível subscrever uma matéria com título tão contraditório?

Certamente esta é a dúvida que agora azucrina a mente daqueles que se dispuseram a ler “estas mal traçadas linhas” com as quais, aqui, plagiando Renato Russo, tentamos melhor explicar o estranho título.

Acontece que revendo fotos dos palanques dos últimos três “Seis de Junho” e as comparando com outras de anos subsequentes, concluímos que apesar de decorridos tantos meses, exatos trinta e seis e, tomando como ponto inicial o dia 6 de junho de 2013, aquilo que se retratou na sua essência nada mudou, embora as figurinhas fotografadas, ano a ano, vieram se raleando. Umas, é claro, ali se repetem, mas…

De início notamos que o figurão principal e grande anfitrião, uma espécie de ator coadjuvante, mas que na realidade era quem regia os componentes da orquestra que se pretendia ver cada vez mais afinada e coesa, quase toda se espremendo ali no palanque de 2013, feliz ou infelizmente, já não mais apareceu nas fotos dos últimos dois anos.

Comparando a mesma foto de 2013 com a que registrou a presença dos figurantes no palanque de 2015, fica fácil de se imaginar que agora em 2016, na próxima segunda-feira, quando se registrar mais uma vez as presenças ilustres naquele tradicional ponto de encontro, os que em companhia do prefeito prestigiarão o desfile cívico de comemoração dos 158 anos de emancipação política desta cidade, somarão um número bem menor de tradicionais frequentadores daquele palanque.

Por que? Simplesmente porque alguns faltarão obedecendo ordens da Justiça que os proibiu de manterem contato com os demais convivas que, por dever de ofício, ali marcarão presença. Outros, por motivos vários que aqui não nos cabe esmiuçar. Uns até porque foram defenestrados da equipe que incialmente e segundo o prefeito, “trabalharia e muito”, na tentativa de soerguer a administração que segundo ele próprio, precisava de um novo ânimo. Aqui vale comentar que se na prática isto não ocorreu, diz ele que a culpa foi das forças internas, ao que parece residentes e resistentes lá no Legislativo e em razão de outras influências externas, totalmente fora do controle do município, como a grave crise que assola o país e que, logo agora, depois de sua eleição, bateram à nossa porta.

Por estas e outras é que reafirmamos que a foto do palanque oficial a se formar no próximo Seis de Junho, ali nas proximidades da praça Getúlio Vargas, mais uma vez será diferente. Confiram e percebam que o aglomerado de uns poucos “heróis da resistência” que hoje, acumulam várias funções é o que lá se verá.  Isto inclusive, confirma para a turma que do lado de fora do palanque assistirá o desfile, algo que muitos de nós sempre dissemos: se antes, o palanque era repleto de membros da alta administração – sabe-se lá de quantos secretários, adjuntos e outros convivas mais chegados -; e hoje só aquele montinho de gente se vê por lá; então, das duas uma: ou antes não havia critério na escolha dos componentes do tal quadro de figurantes, obviamente sem a menor preocupação de se economizar o dinheiro público ou; estes que hoje ali estão, são mesmo superdotados e é por isto que assumem o controle de mais de uma, duas ou três pastas da administração pública, contraindo para si todas as responsabilidades a elas inerentes. Daí já serem conhecidos como “os heróis da resistência”, repetimos.

Mas, infelizmente e concluindo, é também preciso lembrar aqui que, se antes a coisa (pública) não funcionava apesar daquele excesso de contingente de “colaboradores nacionais e importados”, hoje, com as inúmeras baixas havidas, estas por razões que repetimos não nos cabe comentar; para o povão, aquele que depende diretamente das ações administrativas advindas a partir do comando daqueles que estando ou não lá no tal palanque são os que mandam, só resta a sensação de que, a ineficiência e o abandono total com a coisa pública é o que se vê.

E é nesta ótica que ousamos afirmar: se as fotos lá de cima do palanque, ano a ano nos indicam que houve mudanças, aqui embaixo, ao que sabemos, a coisa continua na mesma. Nada mudou, ou melhor, mudou sim, mas para pior!

Que outubro venha logo e nos desminta! Este é o presente que esta cidade merece receber, ainda que antecipadamente, neste dia de seu aniversário. Mas…

Imprimir

Comentários