*Lorene Pedrosa

O prefeito de Formiga Eugênio Vilela determinou na sexta-feira passada (17), que a área localizada entre as ruas Agostinho da Silva Lima, no bairro Rosário, e Maria Rodrigues Gondim, na Vila Padre Remaclo Fóxius, que se transformou em um lixão a céu aberto, fosse limpa ainda nesta semana.

A decisão do chefe do Executivo foi tomada após Eugênio ler a notícia veiculada por este portal na mesma data, onde era informado que segundo nota da Secretaria de Gestão Ambiental, além de trabalho de educação junto aos moradores e colocação de placas, não havia data para a limpeza da área.

Nessa sexta-feira (24), a reportagem do UN voltou ao local para saber se a ordem de Eugênio havia sido cumprida e se os moradores estavam, enfim, livres do problema. Porém, tudo continua da mesma forma. Além da não-realização da limpeza, as placas prometidas não foram colocadas e nenhum trabalho de conscientização está sendo feito com os moradores.

No local há lixo doméstico, entulhos de construções, pneus, carcaças de computadores, móveis e animais mortos.

Mesmo tratando-se de um problema provocado pela má educação da população que despeja o lixo por um acesso à voçoroca, localizado na rua da Vila Padre Remaclo, a grande questão é que se trata de uma área de preservação ambiental, que por motivos óbvios deve ser preservada e que quando se coloca fogo no mato e no material desovado, a fumaça perdura por dias, adoecendo as pessoas que vivem nas proximidades.

No ano passado, um incêndio de grandes proporções tomou conta da área. O Corpo de Bombeiros foi acionado, mas não conseguiu controlar totalmente as chamas. Casas foram afetadas e a canalização de algumas residências localizadas na rua Agostinho da Silva Lima, no bairro Rosário, chegou a ser danificada pelo fogo. O temor dos moradores é que problemas semelhantes voltem a ocorrer.

Várias reclamações já foram feitas junto à Secretaria de Gestão Ambiental que dessa vez, além de não atender aos recorrentes apelos da comunidade também não deu ouvidos a uma ordem do prefeito da cidade,  explicitada em comunicado encaminhado à imprensa.

 

Parquinho da Rodoviária

Outra denúncia feita nessa semana pelo portal diz respeito às péssimas condições em que se encontra o parquinho do Terminal Rodoviário. Tomado por crateras feitas por cães que trafegam livremente pelo local, deixando fezes por todos os lados e oferecendo riscos, tendo ainda brinquedos em mau estado de conservação e uma iluminação insuficiente no período noturno quando é maior o fluxo de visitantes, o playground não tem hoje condições de receber as crianças.

Em respostas aos questionamentos do portal na segunda-feira (20), a administração informou que começaria naquela data um planejamento para revitalizar o parque que, em breve, seria interditado.

De lá para cá, os dias passaram e a área continua aberta e oferecendo os mesmos riscos. O que se espera, é que diante da morosidade em se impedir que crianças e acompanhantes frequentem um espaço cheio de armadinhas, “em breve” também não ocorra nenhum acidente no local.

Imprimir

Comentários