Atualmente, a administração municipal conta com aproximadamente 200 veículos que vão de leve a pesados. Em entrevista ao jornal Nova Imprensa e ao portal Últimas Notícias, o coordenador do Setor de Manutenção de Veículos da Prefeitura, Elton Luiz Bento, explicou como é feita essa manutenção.
Elton Luiz é mecânico há 11 anos e o setor foi criado há aproximadamente quatro anos. De acordo com ele, a única secretaria que não tem veículo é a Procuradoria. Algumas secretarias contam com poucos veículos e outras com um número maior, como a Secretaria de Obras, que tem com 40 veículos e a de Gestão Ambiental, também com 40, já a Saúde com 42 veículos. Os carros do Saae não estão incluídos, por ser uma autarquia.
Questionado sobre os gastos mensais na manutenção dos veículos, Elton Luiz disse que não tinha um valor aproximado, pois varia bastante. ?Temos os gastos mecânicos, eletricistas, bombeiros, alinhamento, troca de óleo. As três secretarias que gastam mais com manutenção são as que contam com mais veículos, Obras, Saúde e Gestão Ambiental. Começamos há algum tempo a tentar implantar uma oficina na Prefeitura. O que é parte mecânica os funcionários fazem aqui, porém, tem a parte mecânica de máquinas pesadas e isso precisamos terceirizar. Seria inviável a gente adquirir esse equipamento. Temos umas dez marcas de máquinas, então teríamos que comprar o equipamento para cada máquina, para a manutenção. É uma coisa que precisa ser olhada minuciosamente, se é uma coisa que compensa, pois teria que ter um galpão, vários funcionários de cada área, esses equipamentos para cada máquina. Tem serviços que precisamos solicitar fora do município. É importante também pesquisar em outras Prefeituras, estivemos na cidade de Piumhi, por exemplo, para ver como funciona essa manutenção. As pessoas que ?estão de fora? criticam a Prefeitura pela demora das coisas, mas é a Lei. Não podemos passar por cima das coisas, tem muita burocracia?.
O Setor de Manutenção de Máquinas foi implantado na administração do prefeito Aluísio Veloso/PT. ?É um setor novo e ainda estamos tendo um pouco de dificuldade. Em janeiro foi implantado o controle de frotas, que é um sistema que o Tribunal de Contas exige que a gente faça e tem um controle de tudo o que estamos gastando com veículos. Antes, essa prestação era anual, agora é no final de cada mês. Tudo que gasta com combustível, o Tribunal de Contas tem o controle de tudo, essa exigência teve início em janeiro deste ano. A gente tem é dificuldades com as empresas daqui de Formiga que prestam serviços mecânicos, pois a maioria não tinha a documentação necessária para prestar os serviços para a Prefeitura, como alvará, certidão federal. Boa parte dessas empresas estão se preocupando em se adequar a isso?, contou.
Segundo informou Elton Luiz, já foi levantada a questão da Prefeitura ter uma oficina própria. ?Só que não podemos pensar só na parte mecânica. Estamos comprando as ferramentas, mas somos barrados nessa diversidade de marcas e modelos dos veículos. É mais em conta terceirizar essa parte da manutenção. Temos muitas limitações ainda, pela diversidade dessa frota, marcas, categorias e essa exigência do Tribunal de Contas. A implantação de uma oficina vai ser uma coisa a longo prazo. Pensamos nisso futuramente, isso é um sonho do nosso setor. Ainda é uma coisa minha, não posso falar que a Prefeitura pensa nisso. Acho que eu tenho que apresentar um projeto primeiro e todos analisarem se compensa ou não. É uma coisa que não vai ficar para uma administração só. É complicado essa diversidade de manutenções?.
Elton Luiz falou que a Prefeitura conta realmente com veículos muito antigos. ?Porém, alguns desses veículos não apresentam tantos gastos. Com esse novo sistema, vamos saber melhor qual veículo está tendo mais gastos, para podermos fazer os cortes. Agora, esse controle de frota vai poder nos fornecer os dados mais específicos?.

Oficina mecânica sem pagamento
Há 15 dias, o vereador José Gilmar Furtado (Mazinho/DEM) pediu informações à administração municipal referente aos proprietários de oficinas mecânicas que prestam serviço para a Prefeitura.
De acordo com o vereador, um proprietário não estaria recebendo pelo serviço de mão de obra há seis meses. Na reunião da semana passada, Mazinho mostrou uma lista, segundo ele, com mais de dois metros, com notas e o nome da empresa que prestou os serviços para a administração municipal.
Elton Luiz explicou sobre o ocorrido: ?Na verdade, o que aconteceu foi que temos uma ordem de fornecimento. É feito um mínimo de três coletas de preço e a empresa vencedora tem que esperar essa ordem de fornecimento da Prefeitura. Essa ordem tem que passar pela Secretaria de Fazenda, Diretoria de Compras, Controle Interno, pela secretaria e depois passa por mim. Se a empresa prestar o serviço antes dessa ordem de fornecimento, ela está correndo risco, pois pode ser que não tenha saldo para aquela finalidade. O proprietário desta oficina que o vereador citou prestou o serviço sem a ordem de fornecimento. Ele apresentou foi o orçamento dele. Eu expliquei o que aconteceu ao vereador Mazinho e ele entendeu. O dono da oficina sabia que ele tinha que prestar o serviço somente após essa ordem de fornecimento. A Lei é essa e eu falei para ele não prestar mais o serviço sem essa ordem. Com esse controle de frotas implantado em janeiro, aí mesmo que não tem como fazer manutenções sem essa ordem de fornecimento, pois tem que constar todos os dados do veículo e do motorista, mas já ficou resolvida essa questão?, explicou.

print
Comentários