Um Airbus da Air France que partiu do Rio no domingo (31) em direção a Paris desapareceu sobre o oceano. O voo AF 447 levava 228 pessoas.
A Aeronáutica e a Marinha retificaram a informação divulgada no domingo (7), de que 17 corpos de vítimas do acidente com o voo 447 foram localizados. Segundo nota divulgada nesta segunda-feira (8), até esta manhã, 16 corpos foram resgatados.
Segundo capitão Giucemar Tabosa, assessor de comunicação da Marinha, a diferença nos números foi notada durante a transferência dos corpos recolhidos da fragata francesa Ventose para uma embarcação brasileira. Ele disse, durante entrevista no Recife, que a fragata francesa tem capacidade para 15 corpos e, por isso, a equipe de buscas considerou que a transferência seria mais apropriada.
A fragata brasileira chamada Constituição, que armazena todos os corpos recolhidos, deve chegar a Fernando de Noronha na terça-feira (9).
Tabosa não confirmou a informação recebida pelos familiares das vítimas, de que mais dois corpos foram encontrados. Não procede, disse ele. Podem ter sido avistados, mas não foram confirmados pela Marinha e pela Aeronáutica.
Os militares informaram que há uma área de instabilidade na região onde ocorreram as buscas, mas os trabalhos seguem normalmente. No total, participam da operação 14 aeronaves e seis embarcações.
Leia a nota divulgada pela Aeronáutica e pela Marinha, na íntegra:
O Comando da Marinha e o Comando da Aeronáutica retificam a informação transmitida na noite de ontem. Até o presente momento, efetivamente 16 corpos foram resgatados na área de buscas, e não 17 como foi anunciado. A Fragata Ventose, da Marinha Francesa, recolheu sete e não oito corpos como foi informado anteriormente à Coordenação das Buscas.
A Fragata Constituição deverá chegar às proximidades do Arquipélago de Fernando de Noronha na manhã desta terça-feira, 9 de junho, transportando todos os 16 corpos já resgatados.
Os sete corpos que estavam na Fragata Ventose, da Marinha Francesa, foram transferidos para o Navio Brasileiro, sem comprometer significativamente a estimativa de chegada. Uma vez em Fernando de Noronha, estes corpos receberão o tratamento pericial inicial para serem transportados de avião até Recife (PE).
As ações de busca e resgate continuam, ininterruptas, e concentradas nos pontos onde foram localizados os corpos. Paralelamente a essas ações, a aeronave R-99 permanece realizando varreduras eletrônicas no intuito de identificar outros focos de destroços.
As condições meteorológicas não atrapalham as operações de busca e resgate neste momento, porém, existem áreas de instabilidade próximas ao Arquipélago de Fernando de Noronha.
Atualmente a Operação conta com 14 aeronaves, sendo 12 da Força Aérea Brasileira e duas da França. O Navio-Patrulha Guaíba está substituindo o Navio-Patrulha Grajaú, que retorna para Natal (RN). Dessa forma, os meios navais continuam compostos por cinco navios da Marinha do Brasil e uma Fragata da Marinha da França.

print
Comentários