Redação UN

A equipe de enfermagem da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Córrego Fundo emitiu, na tarde de quinta-feira (21), uma nota de repúdio após os profissionais que atuam no local não serem incluídos entre os imunizados contra a covid-19 no município, que recebeu apenas 22 doses do imunizante Coronavac.

Nesta primeira etapa e diante do número limitado de doses, foi dada prioridade aos profissionais das Unidades Básicas de Saúde, segundo a Prefeitura, por serem os primeiros a terem contato com os pacientes infectados.

De acordo com a carta dos profissionais da UPA, a não imunização da equipe da unidade pode acarretar prejuízo à população, provocando o contágio dos usuários diante de casos assintomáticos e desfalque na equipe que trabalha na linha de frente de atendimento aos doentes.

Na manhã desta sexta-feira (22), após pedido feito junto à Secretaria de Comunicação pelo portal, foi emitida uma nota sobre o caso, na qual a Administração Municipal de Córrego Fundo informa que entende e respeita a insatisfação da equipe de enfermagem do PA (Pronto Atendimento) do município por não ter sido incluída na primeira fase de imunização contra a covid-19.

Na nota, a administração ainda explica os critérios usados para a escolha dos que receberiam a vacina, afirma que muitos dos profissionais do PA já haviam recebido a vacina, uma vez que residem e atuam também em outros municípios e fala da dificuldade encontrada diante da quantidade de doses enviadas ao município pelo Ministério da Saúde.

Confira a íntegra das notas divulgadas pelos profissionais e pela Prefeitura de Córrego Fundo

NOTA DE REPÚDIO – EQUIPE DE ENFERMAGEM DA UPA

Viemos através desta, mostrar nossa indignação com o poder público, pelo fato da equipe de enfermagem da UPA de Córrego Fundo não ter sido incluída na primeira fase de imunização contra a COVID 19.
Lembrando que nós trabalhamos na linha de frente ao combate contra a COVID 19, e lidamos diretamente com pacientes suspeitos e confirmados de COVID 19.
A não imunização dos profissionais pode acarretar prejuízo a população atraves do contagio aos usuários por meio de funcionários assintomáticos e desfalque na equipe devido ao afastamento dos profissionais sintomáticos, prejudicando assim o atendimento prestado.
Fica aqui registrado o nosso descontentamento pela forma que foi escolhido os grupos de profissionais para serem imunizados.

Profissionais de enfermagem da UPA de Córrego Fundo

NOTA DE ESCLARECIMENTOPREFEITURA

A Administração Municipal de Córrego Fundo informa que entende e respeita a insatisfação da equipe de enfermagem do PA (Pronto Atendimento) do município por não ter sido incluída na primeira fase de imunização contra a covid-19.
Em um momento tão delicado em que TODOS os profissionais ligados à SAÚDE estão se mobilizando para cumprir seu papel de servir às pessoas e atendê-las da melhor forma possível, é compreensível que todas as classes se sintam expostas e no direito de receber a vacina prioritariamente. Nós entendemos que TODOS, cada um em sua função, estão em contato com doentes e com a doença.
Diante disso e do número reduzido de vacinas, tornou-se um grande desafio decidir quem receberia as primeiras doses em nossa cidade.
Depois de uma avaliação minuciosa entendemos que, pelo fato do município ser pequeno e não ter uma unidade do SAD (Serviço de Atendimento Domiciliar), entendemos que os profissionais que mais se enquadravam neste perfil eram os profissionais das UBS, agentes de saúde e plantonistas, uma vez que são esses que têm o primeiro contato com o paciente covid-19.
São eles que vão aos domicílios, fazem o monitoramento, levam receitas, medicamentos e os termos de isolamento. Apesar desses profissionais contarem com os EPIs adequados, eles não possuem a formação superior da equipe do PA que os permitam se proteger de forma mais ampla do contágio.
Diante disso, entendemos ser justo que estes profissionais fossem os primeiros a receberem as 22 doses da vacina que chegaram ao nosso município. Além do mais, uma segunda análise levou-nos a entender que muitos dos profissionais do PA já haviam recebido a vacina, uma vez que residem e atuam também em outros municípios.
Sabemos que TODOS estão empenhados no combate ao vírus e na promoção da Saúde em nossa cidade. Mas entendemos que o momento não pode ser de rivalidade entre equipes e de posturas de que este ou aquele profissional está mais exposto que os demais. Para nós, TODOS estão expostos e merecem o mesmo cuidado. Infelizmente ficamos à mercê de uma escolha cruel entre quem deveria receber as primeiras vacinas e tivemos que estipular critérios, obedecendo ao que foi determinado pelos informes técnicos, enviados pela SRS (Superintendência Regional de Saúde), sede em Divinópolis, onde devem ser escolhidas “prioridades, dentro das prioridades”.
Pedimos a todos compreensão, mais amor e empatia em um momento tão difícil. Que, quando tudo isso passar, tenhamos nossa consciência em paz de que atuamos conforme a ética e a boa vontade no cuidado daqueles que foram colocados sob a nossa responsabilidade.
Muito obrigado a todos!

print
Comentários