A paralisação dos caminhoneiros que durou 10 dias ainda pode ser sentida pelo comércio eletrônico brasileiro.

Os Correios dizem que, desde o início da greve, o volume de encomendas entregues foi 50% menor do que em dias normais. A redução se deve às obstruções em estradas organizadas por caminhoneiros em protesto e pela falta de combustível nos postos.

Além disso, os Correios estimam que, após o fim da greve, serão necessários 15 dias até que o ritmo de entrega de encomendas volte ao normal. Quem comprou itens pela internet, portanto, ainda pode ter que esperar mais do que o normal por sua encomenda.

Os serviços com dia e hora marcados (Sedex 10, Sedex 12, Sedex Hoje, Disque Coleta e Logística Reversa Domiciliária) ainda estão suspensos. Os outros serviços, como o Sedex convencional e o PAC, estão com prazos maiores de entrega.

Para acelerar a normalização das operações, os Correios pretendem aumentar a jornada de alguns funcionários e contratar mão de obra temporária. O atendimento nas agências, por outro lado, segue funcionando normalmente.

 

Fonte: Olhar Digital ||

Imprimir

Comentários