Por Paulo Coelho

Diante da ameaça de fechamento da UTI Neo-natal e da paralisação de outros serviços, em razão da total falta de recursos que possibilitem a manutenção dos mesmos pelo combalido caixa da Santa Casa de Caridade de Formiga, a promotora de Justiça, Clarissa Gobbo Santos se reuniu nesta segunda-feira (11) com o secretário Adjunto de Saúde do Estado de Minas Gerais, Nalton Sebastião Moreira da Cruz.

A promotora explicou ao Últimas Notícias que  o secretário confirmou as informações já trazidas pelo UN em matéria veiculada no dia 30 de agosto, e na edição 1072 do jornal Nova Imprensa que circulou em 1º de setembro garantindo que as parcelas relativas a Rede de Urgência e Emergência, no valor de R$200 mil cada, já estão sendo processadas e deverão ser creditadas ainda no decorrer desta semana.

Os créditos relativos às parcelas vencidas da Rede Cegonha, também serão liberados nos próximos dias e sobre as denominadas “parcelas extras – Prohosp”, estas, não têm data marcada para serem liberadas, devendo isto ocorrer tão logo o caixa do Estado, tenha condições de fazê-lo, como confirmou o secretário, por telefone.

Clarissa, também ouvida pelo editor do portal foi enfática:

A promotora Clarissa Gobbo dos Santos (Foto: divulgação)

“Não há condições de se permitir o fechamento desta UTI. Por este motivo me desloquei para Belo Horizonte em busca de soluções junto ao Estado e, o próprio secretário me informou que, caso isto ocorra, dificilmente conseguiremos recadastrá-la. A cidade e a região não podem prescindir deste importante serviço que convenhamos, tem salvado muitas vidas”, explicou.

print

Comentários