Crianças diagnosticadas com transtornos mentais são, em média, três vezes mais propensas a praticar bullying contra os colegas, revela um novo estudo norte-americano. O bullying é um tipo de violência física ou verbal feita de forma repetida e intencional. As agressões também envolvem uma diferença de poder entre o agressor e a vítima.
As conclusões foram elaboradas com base em um estudo feito no ano passado nos Estados Unidos com estudantes com idades entre 6 e 17 anos. Cerca de 20% dos alunos relataram ter sofrido bullying nos 12 meses anteriores.
Apesar de várias pesquisas já terem apontado um maior risco de problemas mentais e suicídios entre as vítimas, poucos trabalhos se concentram na saúde psíquica de quem pratica a violência.
Além disso, os autores revisaram dados da Pesquisa Nacional de Saúde da Criança, feita nos EUA em 2007 com quase 64 mil menores.
Há cinco anos, 15,2% das crianças que intimidavam as outras foram identificadas pelos pais ou responsáveis. Quem tinha depressão apresentou três vezes mais chances de agredir os colegas, enquanto aqueles diagnosticados com transtorno desafiador opositivo – distúrbio caracterizado por comportamento desafiador ou perturbador e desobediência – tinham até seis vezes mais probabilidade.

print
Comentários