A crise na economia mundial pode causar forte crescimento no número de desempregados em 2012 nos países do G20. É o que afirma o relatório conjunto da Organização Internacional do Trabalho e da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico. O documento foi encomendado pela presidência do G20 e divulgado em reunião interministerial do grupo, que ocorre nesta segunda (26) e terça (27) em Paris.
A taxa de desocupação caiu durante o ano passado, ainda que de forma moderada. O total de desempregados no mundo chega a 200 milhões, maior índice registrado durante a crise atual.
O relatório também indica que se as taxas de crescimento estacionarem no nível atual de 1%, não será possível recuperar os 20 milhões de empregos perdidos desde o início da crise em 2008. O próximo ano também terá muitas demissões, afirma o estudo.
As organizações calculam que a taxa anual de crescimento das vagas de trabalho deveria ser de pelo menos 1,3% para que as economias chegassem em 2015 ao mesmo nível do período anterior à crise. Uma taxa nesse patamar permitiria 21 milhões de postos de trabalho adicionais por ano.
Atualmente, a taxa de emprego avança 0,8% até o fim de 2012, estima o relatório. Os ministros de Trabalho das nações do G20 vão discutir na França a promoção do pleno emprego, o trabalho de qualidade e o respeito aos direitos trabalhistas fundamentais.

Imprimir
Comentários