Não foi a melhor partida do Cruzeiro da era Mano Menezes, mas o clube celeste foi valente contra o Goiás, neste domingo, em Goiânia, e conseguiu a vitória por 1 a 0, gol do uruguaio De Arrascaeta, no segundo tempo. Além das dificuldades já conhecidas de um duelo no Serra Dourada, como o calor e a dimensão do gramado, o clube celeste encontrou um adversário desesperado e bastante motivado, já que tinha um técnico estreante no banco de reservas. 

Com a vitória, o Cruzeiro chegou à oitava partida de invencibilidade e praticamente se livrou da ameaça de rebaixamento. Nas oito partidas, o clube estrelado tem aproveitamento de 66,67% (quatro triunfos e quatro empates), inferior somente ao da Ponte Preta e Corinthians no mesmo período. Agora, o time celeste soma 44 pontos, 11 a mais do que a zona da degola. Os torcedores cruzeirenses passam a sonhar com uma arrancada inédita para terminar o campeonato no G-4. A Raposa está seis pontos abaixo do Santos, quarto colocado. 

Para que o sonho se torne real, o Cruzeiro precisa vencer todos os seus seis jogos restantes. Dessa forma, a Raposa chegaria aos 62 pontos e teria, de acordo com dados do departamento de matemática da UFMG, 89,17% de chance de classificação. O primeiro duelo dessa sequência final será no próximo sábado, às 19h30, contra o Avaí, na Ressacada. Os seguintes são contra o São Paulo e o Sport no Mineirão, o Palmeiras, no Allianz Parque, o Joinville, no Gigante da Pampulha, e, por fim, o Inter, no Beira Rio.

O jogo

O Cruzeiro começou a partida com dificuldades. A equipe de Mano Menezes tocava a bola sem criatividade e, quando perdia, era ameaçada em jogadas de perigo do Goiás, principalmente pelo lado esquerdo da defesa. Foi por aquela faixa do campo que o time da casa assustou primeiro. 

Logo aos 6 minutos, Bruno Henrique cruzou para Zé Love, que chutou em cima do goleiro Fábio, à queima-roupa. Pouco tempo depois, Erik saiu na cara do gol e Fábio fechou o ângulo do atacante. Na sobra, Fabrício salvou o Cruzeiro em cima da linha.

Depois dos sustos, o Cruzeiro colocou a bola no chão e começou a dominar as ações do meio-campo. A primeira chance real de gol da Raposa só ocorreu aos 23 minutos. Marcos Vinicius fez boa jogada e tocou para Willian, que chutou forte, à direita de Renan.

Pouco tempo depois, o mesmo Willian desperdiçou uma chance incrível. Em cobrança de escanteio, a bola sobrou nos pés do atacante do bigode, na marca do pênalti. Ele dominou, escolheu o canto, e chutou para fora. Depois desse lance, o Cruzeiro voltou a perder as rédeas do jogo e o Goiás se aproveitou das brechas cruzeirenses para chegar com perigo.

No segundo tempo, antes que o time da casa pudesse esboçar qualquer tipo de pressão, o Cruzeiro pulou na frente no placar. Aos 6 minutos, Willian chutou de fora da área, o goleiro Renan rebateu e De Arrascaeta empurrou de cabeça para o fundo das redes: 1 a 0.

O clube celeste desperdiçou a grande chance de matar o jogo. Aos 13 minutos, Marcos Vinicius cruzou na cabeça de Arrascaeta, que, sozinho, na entrada da pequena área, mandou para fora. Depois disso, o time de Mano Menezes levou sustos, mas conseguiu segurar a importante vitória fora de casa e ampliou sua sequência invicta no Brasileirão para oito jogos.

Gilmar Laignier /Superesportes

Imprimir