Em momentos completamente diferentes, Cruzeiro e Atlético iniciam nesta quinta-feira (11), no Mineirão, às 20h (horário de Brasília), a decisão de quem avança para as semifinais da Copa do Brasil.

A situação dos rivais mineiros é bem diferente. O Atlético vem se preparando com cautela para o confronto, trabalha em silêncio e nos bastidores vive um momento bastante tranquilo.

Por outro lado, o Cruzeiro está no olho do furacão. Dentro de campo, embora tenha nove jogos de jejum, a Raposa tem alguma tranquilidade para o técnico Mano Menezes trabalhar. Fora dele, todavia, a situação é crítica.

As denuncias de corrupção não param, o clube está afundado em sua pior crise institucional e os torcedores convivem com o noticiário policial. Na terça-feira (9), parte da diretoria recebeu a visita de policiais civis que foram em busca de documentos da “Operação Primeiro Tempo”.

Além de tudo isso, o Cruzeiro deve salários aos jogadores. A informação foi confirmada por Valdir Barbosa, novo diretor de comunicação do clube. Segundo o jornalista, em até dez dias a agremiação vai arcar com os vencimentos dos atletas.

No campo, o Cruzeiro chega para o jogo com problemas. Mano Menezes perdeu peças importantes, como Lucas Silva, que terminou sem contrato e não foi renovado, além de Raniel e Murilo, ambos vendidos. Já o meia Rodriguinho está afastado para fazer uma cirurgia.

Pelos lados do Atlético, contratações. O Galo buscou um lateral-esquerdo, Lucas Hernandez, contratou um volante Ramon Martínez e contou com o retorno de Rômulo Otero. Todos estão liberados para o jogo desta quinta. A base da equipe, porém, não sofreu alterações e só Adilson será desfalque em relação ao último jogo antes da parada para a Copa América.

 

Imprimir

Fonte:

Gazeta Esportiva