Cruzeiro e Boca Juniors se enfrentam hoje, às 17h40, no estádio La Bombonera. É o primeiro jogo entre as equipes pelas oitavas-de-final da Copa Libertadores da América. A Raposa conta com força máxima, e se quiser pode repetir o time titular na goleada por 5 a 0 sobre o Atlético, no último domingo, pela primeira partida da final do Campeonato Mineiro. Já os argentinos não contam com três titulares da defesa. Os laterais Ibarra e Morel Rodríguez e o zagueiro Paletta estão vetados.
No Cruzeiro, o técnico Adilson Batista estuda algumas mudanças. O volante Henrique pode dar lugar a Fabrício. Outra opção é manter Henrique e substituir o atacante Guilherme por Fabrício, adiantando o meia Wagner. Neste caso, o meio-campo ficaria com quatro volantes. Ontem, os jogadores fizeram o treino de reconhecimento do gramado no local da partida.
O treinador orientou o posicionamento dos zagueiros e comandou uma atividade de marcação sobre pressão. No Boca Juniors, a tendência é para que o técnico Carlos Ischia improvise o meia Álvaro González na lateral-direita e escale Fabian Monzón na esquerda. A zaga terá Cáceres e Maidana.
O treinador terá a volta de cinco titulares que não atuaram na derrota por 1 a 0 para o San Lorenzo, pelo Campeonato Argentino: o volante Battaglia, o atacante Palacio e os meias Dátolo, González e Riquelme. A Raposa volta ao La Bombonera depois de quase 11 anos. A última partida no estádio foi em setembro de 1997, pela Supercopa, e o Boca Juniors venceu por 1 a 0.
O retrospecto da equipe celeste na casa do adversário é favorável aos argentinos. Em quatro partidas, foram duas derrotas do Cruzeiro, um empate e apenas um triunfo celeste, em 1994, pela Libertadores. Esta vitória, porém, é histórica. Apenas três clubes brasileiros conseguiram vencer o Boca Juniors em seus domínios. Além do Cruzeiro, o Santos de Pelé, em 1963, e o Paysandu de Iarley, em 2003, realizaram a façanha.
Decisão
As duas equipes fizeram a final da Copa Libertadores em 1977. No jogo de ida, em Buenos Aires, deu Boca Juniors: 1 a 0, gol de Veglio. No Mineirão, o Cruzeiro devolveu o placar graças a Nelinho. Uma partida extra foi disputada, em Montevidéu. Depois do empate em 0 a 0, o clube argentino ganhou na disputa de pênaltis por 5 a 4, e conquistou a competição pela primeira vez.
Argentina. O Cruzeiro já enfrentou seis times do país vizinho na Copa Libertadores. Além do Boca Juniors, Independiente, River Plate, Rosário Central, Vélez Sarsfield e San Lorenzo já foram adversários da Raposa na competição. Em 16 partidas, o time celeste obteve oito vitórias, empatou três vezes e perdeu em cinco oportunidades.

print
Comentários