O sonho do hexa continua! O Cruzeiro honrou sua tradição copeira e avançou à final da Copa do Brasil pela oitava vez em sua história. O jogo desta quarta-feira (26), no Mineirão, foi tenso e bastante equilibrado. Respaldado pela vantagem de 1 a 0 construída na partida de ida, no Allianz Parque, em São Paulo, o time celeste abriu o placar aos 26min do primeiro tempo. Barcos, o Pirata, recebeu assistência de Lucas Silva, driblou Weverton e colocou a redonda no fundo da rede. Mas o Verdão não se entregou e buscou o empate aos 4min da etapa final, em cabeceio de Felipe Melo: 1 a 1.

A partir dali, os comandados de Luiz Felipe Scolari se mandaram para o ataque, enquanto a equipe de Mano Menezes ficou à defesa e à espera de uma chance para contra-atacar. Nos acréscimos, o goleiro Fábio saiu brilhantemente aos pés do zagueiro Antônio Carlos e evitou a possível virada alviverde. Depois do duelo, houve confusão envolvendo vários jogadores. O árbitro Wagner do Nascimento Magalhães expulsou o cruzeirense Sassá e os palmeirenses Mayke e Diogo Barbosa.

O adversário do Cruzeiro na decisão será o Corinthians, que ganhou do Flamengo por 2 a 1, também nesta quarta-feira, na Arena Corinthians, em São Paulo. De acordo com a programação da Confederação Brasileira de Futebol, as partidas de ida e volta acontecerão nos dias 10 e 17 de outubro. Haverá sorteio nesta quinta-feira, às 14h30, para definir a ordem dos mandos de campo.

Cruzeiro e Palmeiras se reencontrarão no domingo, às 11h, no Pacaembu, pela 27ª rodada do Campeonato Brasileiro. Mano Menezes escalará um time reserva, pois as atenções agora estão direcionadas ao Boca Juniors, da Argentina. Na quinta-feira, dia 4 de outubro, às 21h45, os times se enfrentam pelo jogo de volta das quartas de final da Copa Libertadores. Derrotado por 2 a 0 na Bombonera, em Buenos Aires, o time celeste precisará ganhar no Mineirão por três gols de diferença para avançar às semifinais. Se conseguir esse feito, terá grande chance de reencontrar o Palmeiras, que bateu o Colo Colo no duelo de ida por 2 a 0, em Santiago, no Chile.

O jogo

Na véspera de Cruzeiro x Palmeiras, Thiago Neves postou foto no Instagram ao lado de Arrascaeta com a legenda: ‘Prontos para amanhã’. O uruguaio não foi relacionado. Neves sim. E como titular. Recuperado de dores na coxa direita, o camisa 30 recebeu a missão de ser o homem de criação. Mas na prática, a estratégia cruzeirense era ceder a posse de bola ao adversário e tentar explorar um contragolpe. Por duas vezes, Thiago teve a oportunidade de dar um passe decisivo. Errou em ambas.

Já no penúltimo passe, Thiago Neves foi feliz. Aos 26min, ele percebeu a passagem rápida de Lucas Silva, na linha de meio-campo, e tocou rasteiro. De primeira, o volante esticou a bola nas costas da zaga rival em direção a Barcos, que teve frieza para driblar Weverton e, quase sem ângulo, abriu o placar no Mineirão: 1 a 0. Somado o resultado à vantagem obtida no Allianz Parque (também 1 a 0), o Cruzeiro ficou em situação confortável e neutralizou os atacantes Dudu e Willian, homens de velocidade e força do Verdão.

No intervalo, o técnico Luiz Felipe Scolari partiu para o ‘tudo ou nada’. No ataque, Deyverson substituiu Borja. No meio-campo, o venezuelano Guerra entrou no lugar de Bruno Henrique. Ainda sem tempo hábil para os suplentes darem ‘cara nova ao time, o Palmeiras conseguiu empatar o jogo. Aos 4min, Egídio cedeu escanteio ao adversário em jogada na qual poderia cortar para a lateral ou até mesmo ficar com a bola sob seu domínio. Na cobrança de Dudu, o volante Felipe Melo, de 1,83m, ganhou do zagueiro Dedé, nove centímetros mais alto, e cabeceou forte, sem chances para Fábio: 1 a 1.

Pouco depois de levar o empate, Mano Menezes chamou Bruno Silva e Sassá. O primeiro recebeu a missão de fechar os espaços pelo lado direito, enquanto o segundo usou a força física para prender a bola e ganhar divididas contra a marcação do Palmeiras. Saíram o meia Thiago Neves e o centroavante Barcos.

Quando era pressionado pelo Palmeiras, o Cruzeiro conseguiu encaixar um bom contra-ataque, aos 21min. Na base da vontade, Sassá ganhou duas divididas e lançou Robinho em velocidade pelo lado direito. Ao invadir a grande área, o armador driblou Marcos Rocha, porém se atrapalhou ao devolver para Sassá e tocou a bola no pé de Antônio Carlos.

A partir dos 30 minutos, o Palmeiras se mandou de vez para o ataque, enquanto o Cruzeiro se fechava e tentava, de alguma forma, revidar por meio de contragolpes. Aos 47min, o zagueiro Leo falhou ao tirar a bola da zaga e permitiu que o time paulista recuperasse a redonda. Só que Fábio, atento e esperto, saiu brilhantemente aos pés do zagueiro Antônio Carlos (isso mesmo!) e agarrou firme. O árbitro deu oito minutos de acréscimo, mas a Raposa se segurou bravamente até o apito final. Depois da partida, houve confusão envolvendo vários jogadores, entre eles o lateral-direito palmeirense Mayke e o atacante cruzeirense Sassá. Os dois trocaram socos e acabaram expulsos, bem como o lateral-esquerdo Diogo Barbosa, do time alviverde.

Atacante Hernán Barcos dedicou gol marcado pelo Cruzeiro ao filho recém-nascido Gael (foto: Alexandre Guzanshe)

 

 

 

Fonte: Super Esportes||

Imprimir

Comentários