O Cruzeiro cumpriu a sua missão na altitude de 2.800m de Sucre, na Bolívia, derrotou o Universitário por 1 a 0 nesta quarta-feira à noite, no Estádio Olímpico Pátria, e ficou muito perto da classificação às oitavas-de-final da Copa Libertadores. O time celeste chegou aos sete pontos em três jogos e abriu quatro de vantagem para o Estudiantes, que tem um jogo a menos.
No dia 18, o Cruzeiro receberá o Universitário em Belo Horizonte, na abertura do returno do Grupo 5, e poderá se classificar com duas rodadas de antecedência, em caso de vitória, dependendo dos demais resultados.
Thiago Ribeiro foi autor do gol da vitória cruzeirense em Sucre, aos 38 minutos. Kléber fez um grande primeiro tempo, participou de todas as jogadas do ataque, mas voltou a decepcionar no critério disciplinar ao ser expulso no segundo tempo, com justiça. Ele agrediu o adversário sem bola.
O jogo

O Cruzeiro foi o dono do primeiro tempo e conseguiu abrir a vantagem de 1 a 0, com um gol de Thiago Ribeiro, aos 38 minutos. O time mineiro controlou as ações desde o começo e em momento algum foi acuado pelos anfitriões, como prometia o técnico boliviano Eduardo Villegas. Com inteligência, os celestes valorizaram a posse de bola, envolveram o adversário e criaram cinco chances reais na área, uma delas convertida em gol.
O Universitário levou perigo ao gol de Fábio apenas aos 17 minutos, em chute violento de Sillero que passou sobre o travessão. Na maioria das vezes em que foi à frente, a equipe da casa finalizou de longa distância ou fez cruzamentos errados. O atacante Nicolas Raimondi foi acionado várias vezes e sempre concluiu mal a gol, tanto que saiu vaiado para o intervalo.
Kléber foi o jogador mais perigoso do Cruzeiro. Ele esteve perto de marcar em três lances. No primeiro, aos seis, o chute de canhota bateu na rede pelo lado de fora. Aos sete, ele teve um chute à queima-roupa abafado pelo goleiro. Já aos 12, ele cortou dois zagueiros e bateu colocado, facilitando a defesa de Lampe.
O gol do Cruzeiro saiu justamente de uma jogada iniciada por Kléber, pela ponta direita. O atacante lançou Jonathan em profundidade, o cruzamento saiu perfeito e Thiago Ribeiro cabeceou colocado, no canto direito de Lampe: 1 a 0.

Segundo Tempo
A partida recomeçou com supremacia do Universitário, conseqüência em parte da passividade do Cruzeiro. Os iniciaram a pressão logo no primeiro minuto, com Sillero, pela esquerda. Leo Fortunato furou no corte da bola e Raimondi não aproveitou.
O Cruzeiro respondeu só aos quatro, em chute perigoso de Thiago Ribeiro, pela direita, defendido por Lampe. Dois minutos depois, o Universitário perdeu a sua grande chance de empatar a partida. Fábio escorregou na pequena área, Raimondi bateu à queima-roupa e o goleiro se recuperou ao fazer grande defesa de raspão.

Adílson Batista precisou tirar Thiago Ribeiro aos nove minutos, por contusão. Em seu lugar, ele lançou o lateral-direito Jancarlos. Com isso, Jonathan foi deslocado para o meio e Wagner e Ramires se revezaram no ataque. Ambos continuaram apagados na partida.
Fábio voltou a aparecer no jogo aos 11, ao defender falta perigosa cobrada por Sacha Lima. Sem conseguir o empate, o técnico do Universitário reforçou o ataque com a entrada do brasileiro Da Silva no lugar do meio-campista Saucedo. No Cruzeiro, Adílson sacou Wagner, que teve atuação discreta, e promoveu Soares.
Num lance desleal, aos 23, Kléber acabou expulso pelo árbitro uruguaio. O atacante atingiu Ribera por trás, derrubou-o com um puxão pela camisa e, já caído, atingiu o adversário no rosto com a chuteira. O segundo cartão vermelho em dois jogos na Libertadores tira o Gladiador da partida contra o próprio Universitário, em Belo Horizonte, no próximo dia 18.
A pressão do time local aumentou com a vantagem numérica no gramado. Raimondi levou perigo aos 25, em chute que saiu à esquerda da meta de Fábio. O técnico Eduardo Villegas decidiu ir para o tudo ou nada ao colocar Gallegos e Mealla nos lugares de Lima e Marcelo Gomes. Enquanto isso, Adílson trocou Ramires por Elicarlos e tratou de segurar a vantagem.
Os minutos finais foram de pressão total do Universitário. Mas o Cruzeiro contou com grande atuação de Fábio para segurar o 1 a 0.

print
Comentários