Ano novo, mas com o mesmo roteiro de 2008. No primeiro clássico do ano, o Cruzeiro repetiu a rotina da temporada passada e venceu o Atlético, desta vez por 4 a 2. O duelo, disputado no estádio Centenário, em Montevidéu, classificou a equipe celeste para a final do Torneio de Verão do Uruguai. A última vitória do Alvinegro sobre o arqui-rival foi em abril de 2007, goleada por 4 a 0 no Campeonato Mineiro daquele ano.
Com o Centenário praticamente vazio, as duas equipes mostraram a esperada falta de condição física, mas fizeram um jogo movimentado e com muitas emoções. Tardelli terminou o jogo como ponto positivo do lado atleticano. Marcou os dois gols da equipe e mostrou que pode ser o artilheiro do time na temporada.
O volante Renan, contra, Fernandinho, Ramires e Soares construíram a vitória da equipe estrelada, que vai enfrentar o Nacional, que venceu o Peñarol por 2 a 1, na finalíssima, marcada para quarta-feira. O Galo ainda terá a disputa do terceiro lugar pela frente.
Entrosamento fala mais alto
O maior entrosamento do time do Cruzeiro fez a diferença no primeiro tempo. As duas equipes mostraram que ainda precisam de muito trabalho para chegar na forma física ideal para este início de temporada. Com a falta de ritmo de jogo evidente de ambos os lados, sobraram passes errados, principalmente dos atleticanos.
Aos poucos, o Cruzeiro passou a dominar as ações ofensivas e exigir algumas boas defesas do goleiro Juninho. O primeiro gol celeste saiu aos 17 minutos. Marquinhos Paraná fez belo lançamento para Thiago Ribeiro na esquerda, que avançou e cruzou na área. A defesa do Galo vacilou e a bola sobrou para Jonathan. O lateral celeste tocou para o meio e o volante Renan fez contra. O gol deu mais tranqüilidade aos cruzeirenses que passaram a tocar a bola e envolver o time do Atlético. O jogo seguia um tanto morno, mas ficou quente no final da primeira etapa.

Três gols para esquentar
Aos 36 min, Diego Tardelli invadiu a área e tentou o chute. A bola tocou na mão do zagueiro Thiago Heleno e o árbitro Jorge Larrionda marcou pênalti. O próprio Tardelli cobrou para empatar, com muita categoria, bola de um lado e goleiro do outro.
Tudo igual no placar, mas a alegria alvinegra durou por pouco tempo. Três minutos depois foi a vez do Cruzeiro ter uma penalidade máxima a seu favor. O zagueiro Welton Felipe perdeu o tempo da bola, chegou atrasado e derrubou Thiago Ribeiro dentro da área. Fernandinho bateu, o goleiro Juninho esteve perto de fazer a defesa, mas a Raposa voltou a ficar na frente.
No fim da etapa inicial, o Cruzeiro marcou o terceiro e um ar de goleada começava a pairar no Centenário. Um belo gol. Ramires fez boa tabela com Jonathan, que deixou o volante na cara de Juninho. Ramires teve calma e chutou na saída do goleiro, para fazer o terceiro da Raposa.
Festa celeste no fim
O segundo tempo começou sem muitas mudanças no panorama da partida e com muitas alterações sendo realizadas pelos dois treinadores. Para o Atlético, a esperança de uma virada ainda esteve presente e viva até os minutos finais do duelo. Aos 22 minutos, Tardelli mostrou faro de artilheiro e marcou seu segundo no jogo. Thiago Feltri cruzou na área e o atacante empurrou para o fundo da rede do Cruzeiro.
O Galo ainda desperdiçou algumas chances para empatar e já no finalzinho viu o quarto da Raposa. Aos 44, Ramires cruzou rasteiro e o estreante Soares completou para o gol. O quarto do Cruzeiro e vaga garantida na final.

print
Comentários