O Cruzeiro precisou suar a camisa para vencer o Goiás, e com bastante esforço, mesmo que sem um jogo vistoso na terceira rodada do Campeonato Brasileiro, fez 2 a 1 no time Esmeraldino e alcançou o objetivo de somar duas vitórias em casa na sequência. Os gols da Raposa foram marcados por Dedé e Rodriguinho, com Michel anotando o tento goiano.

A vitória foi muito importante, já que com o triunfo o Cruzeiro chegou à marca de mil pontos no somatório geral desde 2003, quando o Campeonato Brasileiro passou a ser disputado por pontos corridos.

O próximo jogo do Cruzeiro no Campeonato Brasileiro está marcado para domingo (12), em Porto Alegre, contra o Internacional, no estádio Beira-Rio, às 16h.

Antes, a Raposa tem compromisso importante pela Copa Libertadores nesta quarta-feira (8) no Mineirão, contra o Emelec-EQU, pela última rodada da fase de grupos. Esse confronto vale a primeira colocação geral para o Cruzeiro, que teria vantagem de decidir os jogos  em casa.

O Jogo

O que se viu em campo foi um jogo fraco tecnicamente, com um Goiás explorando o contra-ataque e armando sua defesa no sistema 5-3-2, para dificultar a chegada

No tradicional 4-2-3-1, o Cruzeiro tentava passar “o muro” montado pelo técnico Claudinei Oliveira na defesa. O que era difícil e deixava o técnico Mano Menezes nervoso. Isso, porque na ânsia de atacar o time celeste não conseguia segurar a bola. E “dava o jogo” demais para o Goiás.

Mano então revezava entre o banco de reservas e sua área técnica, e quando ia para a beirada do campo não perdia a viagem. Era cobrança e mais cobrança, chegando até a esbravejar quando o posicionamento do time estava errado e dava ao Goiás a posse de bola na defesa celeste.

Eles estão marcando bem, temos que ter mais tranquilidade para poder entrar, tocar, virar o jogo. Mas não creio que eles vão conseguir fazer o segundo tempo inteiro assim não”, disse Rodriguinho, confirmando a dificuldade em passar

O segundo tempo começou mais animado e com homenagem. Após cruzamento da esquerda executado por Pedro Rocha, o zagueiro Dedé subiu no terceiro andar e marcou o primeiro gol do Cruzeiro. E justamente na comemoração o camisa 26 colocou a bola embaixo da camisa, apontou para o camarote e saudou a esposa Patrícia, grávida. Agora o defensor, que já é pai do garotinho Gabriel, em breve terá em casa uma menininha.

Após o gol o Cruzeiro emplacou uma pressão no Goiás. Foram duas chances claríssimas de ampliar o placar, com Lucas Silva, em chute de fora da área, e Egídio, que quase fez um golaço, no ângulo. Mas em ambas as tentativas o goleiro Tadeu fez duas grandes defesas.

Os clichês do futebol são emplacáveis, tanto que, quem não faz, leva. O Goiás não se entregou e mesmo com a forte pressão celeste conseguiu o empate.
O time Esmeraldino deixou tudo igual no marcador com Michel, que pegou rebote após excelente defesa do goleiro Fábio em chute de Leandro Barcia: 1 a 1.

Ao tomar o gol a Raposa foi para cima do Goiás, tentava segurar a bola no campo de ataque para pressionar o adversário. A torcida ficava impaciente, o time errava muitos passes, até que Mano fez todas as trocas quase que de uma vez.

O treinador sacou Robinho e Pedro Rocha, acionando Thiago Neves e David. Depois ainda colocou Jadson na vaga de Orejuela. O Cruzeiro seguia na pressão e conseguiu desempatar.

Egídio “colocou a bola” na cabeça de Rodriguinho, que fez o segundo gol, tento que garantiu o triunfo celeste, o segundo consecutivo em casa.

CRUZEIRO 2 X 1 GOIÁS

Motivo: 3ª rodada do Campeonato Brasileiro

Local: Estádio Mineirão (BH)

Árbitro: Rodrigo Carvalhaes de Miranda (RJ)

Auxiliares: Luiz Claudio Regazone e Silbert Faria Sisquim, ambos do RJ

VAR: Paulo Roberto Alves Junior (RJ)

Gol: Dedé, aos 3, Michel, aos 11, e Rodriguinho aos 35 minutos do segundo tempo

Cartão Amarelo: Fábio, Rodriguinho (CRU); Giovanni Augusto (GOI)

Cartão Vermelho: Giovanni Augusto (GOI)

Público : 19.735 (presente) / pagante: 15.259

Renda: R$ 214.018,50

CRUZEIRO – Fábio; Orejuela (Jadson), Léo, Dedé e Egídio; Henrique e Lucas Silva; Robinho (Thiago Neves), Rodriguinho e Pedro Rocha (David); Fred. Técnico: Mano Menezes.

GOIÁS – Tadeu; Daniel Guedes; David Duarte; Yago e Jefferson; Geovane, Léo Sena, Giovanni Augusto (Renatinho) e Barcia (Marlone); Michael e Kayke (Junior Brandão). Técnico: Claudinei Oliveira.

 

Fonte: Hoje em Dia ||

Imprimir

Comentários