Dia após dia o Cruzeiro ganha o noticiário, mas sem ter o futebol, propriamente dito, como tema principal dos assuntos. Dessa vez, o clube virou alvo da Justiça por dois problemas diferentes.

Corre na 9ª Vara Cível de Belo Horizonte um processo movido pela empresa norte-americana Aubury Dade, que cobra participação na venda de jogadores revelados pelo clube. E o volante Willians, que atuou com a camisa celeste entre 2015 e 2017, acionou a Raposa em uma ação trabalhista por falta de pagamento de salários, verbas rescisórias e multas previstas no acordo de Consolidação das Leis do Trabalho (CLT). Os dois assuntos foram antecipados pelo Globoesporte.com.

Processos

Em relação ao processo que envolve o clube e a Aubury Dade, a empresa, segundo os autos, teria direito a participação financeira (20% dos valores) em transferências futuras de alguns atletas. Tal porcentagem teria sido dada como garantia em um empréstimo de 30 mil euros (algo em torno de R$ 130 mil), dinheiro utilizado para arcar com custos de uma excursão das categorias de base ao Japão e Holanda.

Esse contrato foi firmado ainda durante o período em que Gilvan de Pinho Tavares presidia o Cruzeiro. E os valores foram emprestados ao clube celeste em julho de 2017. A empresa teria direito a receber parte das negociações de determinados atletas, ainda de acordo com o processo, se houvesse negociação desses jogadores até 31/08/2018.

A Aubury Dade aponta que quatro jogadores participaram da excursão e foram negociados pelo Cruzeiro dentro do prazo especificado em contrato. São eles: Victor Alexander da Silva (Vitinho), Guilherme William dos Santos, João Diogo Jennings e Natan Ferreira de Carvalho.

A empresa pede que o Cruzeiro apresente na Justiça os documentos referentes às saídas desses atletas do clube, pedido que foi acatado pela juíza responsável pelo caso.

Atletas

Dos atletas citados pela Aubury Dade, Vitinho foi negociado com o Cercle Brugge, da Bélgica. O lateral-direito rescindiu contrato com o Cruzeiro no dia 11 de julho de 2018, e, apesar de o clube não oficializar o valor da venda, foi noticiado que a equipe belga pagou R$ 10 milhões pelo atleta. O que daria à Aubury Dade o direito de ficar com R$ 2 milhões.

Os demais jogadores citados pela empresa tiveram o seguinte destino. Natan foi trocado com o América, que mandou o meia Makton à Raposa. O atacante João Diogo foi para o Figueirense e o também atacante Guilherme Willian foi para o Náutico. Não foi divulgado pelo clube os moldes dessa negociação.

Willians

O outro processo que envolve o Cruzeiro e foi divulgado nesta semana foi a ação trabalhista movida pelo volante Willians, que atuou no clube entre 2015 e 2017. O jogador cobra cerca de R$ 1,7 milhão por pendências com salários e outros compromissos registrados em contrato.

Em fevereiro do ano passado o Cruzeiro fez um acordo com Willians e pagaria R$ 956.193,85 em seis parcelas de pouco mais de R$ 159 mil. O clube arcou com a primeira parcela, mas as outras cinco não foram pagas.

Por isso, Willians buscou à Justiça por quebra de acordo. A ação tramita na 39ª Vara do Trabalho de Belo Horizonte.

 

Fonte: Hoje em Dia ||

Imprimir

Comentários