Em busca de sua recuperação no Campeonato Brasileiro, onde não vence há duas partidas – um empate e uma derrota -, o Atlético terá no próximo domingo, às 16h, no Mineirão, contra o Cruzeiro, a oportunidade de interromper um jejum maior. O alvinegro mineiro não vence o rival há dois anos e dois meses.

O último triunfo atleticano aconteceu em 29 de abril de 2007, quando goleou o rival, por 4 a 0, na primeira partida da final daquele ano. A vitória garantiu a conquista do título mineiro daquele ano, último título profissional conquistado pelo alvinegro. Após aquela goleada, foram dez vitórias cruzeirenses e dois empates.
Neste período, o Cruzeiro conseguiu sete vitórias consecutivas, sequência que foi encerrada na última partida da final do Campeonato Mineiro, quando os dois rivais empataram por 1 a 1. O outro empate nas 12 partidas de invencibilidade celeste diante do maior rival foi registrado na fase de classificação do Campeonato Mineiro de 2008, em 8 de março, com um 0 a 0.
Na decisão do título estadual de 2007, o Cruzeiro tinha vantagem de dois empates ou vitória e derrota pela mesma diferença de gols, mas não conseguiu mantê-la. O Atlético goleou por 4 a 0, e o então técnico celeste, Paulo Autuori, se demitiu do cargo, alegando técnico celeste, Paulo Autuori, se demitiu do cargo, alegando vergonha na cara.
No jogo da volta, em 6 de maio, sem Paulo Autuori, que se demitiu após a goleada sofrida, o Cruzeiro conseguiu a vitória por 2 a 0, impondo ao adversário o início do período de jejum. Apesar disso, o título ficou com o time atleticano, então comandado por Levir Culpi.
Depois desse triunfo, o Cruzeiro venceu mais duas vezes o seu rival, em 2007. Na duas ocasiões, sob o comando de Dorival Júnior e válidas pelo Campeonato Brasileiro, a equipe celeste fez quatro gols no adversário: 4 a 2, em 24 de junho, pelo primeiro turno, e 4 a 3, pelo returno, em 16 de setembro.
Nos quatro clássicos disputados no ano passado, já sob o comando de Adilson Batista, a vantagem do Cruzeiro continuou muito grande. Foram três vitórias e um empate, com oito gols marcados e apenas um sofrido.
Na decisão do título estadual de 2008, conquistado pelo Cruzeiro, foram duas vitórias: goleada de 5 a 0 e vitória por 1 a 0. No primeiro turno do Brasileiro, a equipe cruzeirense bateu por 2 a 1, de virada, com o gol do triunfo marcado pelo volante Ramires, aos 46 min do segundo tempo.
Em 2009, o time atleticano, com Leão, perdeu os três confrontos para a equipe celeste, que segue comandada por Adilson Batista. No primeiro jogo do ano, o Cruzeiro ganhou por 4 a 2, em Montevidéu, em 17 de janeiro, pelo Torneio de Verão. Em 15 de fevereiro, pela fase inicial do Estadual, o clube celeste venceu, por 2 a 1.
Já no primeiro jogo da final do Campeonato Mineiro desta temporada, o time alvinegro voltou a ser derrotado para o maior rival, por 5 a 0, completando 11 jogos sem vitórias sobre o rival. Na segunda partida, as duas equipes empataram em 1 a 1 e o time celeste comemorou o bi-campeonato Mineiro, de forma invicta.

Após empatar com o Estudiantes, por 0 a 0, no primeiro jogo da final da Libertadores, em La Plata, e antes de voltar a campo na próxima quarta-feira, contra o mesmo adversário, o Cruzeiro deve encarar o clássico com um time misto. Observamos os meninos que ficaram descansando, conversamos com o restante do pessoal da comissão técnica, Paulão, Quintiliano, para já montar um time para enfrentar o Atlético, observou Adilson Batista.
Como o time decidirá o título da Libertadores, na próxima quarta-feira, Adilson Batista vai poupar titulares no clássico, jogo que, segundo o técnico, passa a ser sua prioridade e alvo das atenções. A partida é válida pela 10ª rodada do Brasileirão. Vamos por etapa e com cuidado. Vamos pensar no Atlético agora, e nos preparar para o clássico que é mais um jogo importante, destacou Adilson Batista.
Ele deu pistas de que alguns jogadores que ficaram em Belo Horizonte em recuperação de lesões, caso de Fabrício, Thiago Heleno, Athirson e Sorin poderão ser aproveitados no clássico pelo Brasileirão.
Para os jogadores atleticanos, caso essa situação se confirme, não tornará mais fácil a tarefa de vencer o rival. De jeito nenhum. É clássico, por isso será jogo pegado e, com certeza, vão querer nos vencer, da mesma forma que vamos tentar vencê-los. Vamos chegar duro e disputar bem todas as bolas para sair com os três pontos, comentou Werley.

Nos últimos três jogos pela competição nacional, quando foi derrotado por Barueri e Goiás, por 4 a 2 e 1 a 0, e venceu o Avaí, também por 1 a 0, o Cruzeiro teve times mesclados por reservas e jogadores juniores. Essa deve ser mais uma vez a base da equipe que ocupa a 13ª posição, com 10 pontos.

print
Comentários