Ter ossos e músculos fortes é algo que ajuda a evitar a osteoporose e pode ser alcançado com uma alimentação rica em cálcio e com prática de atividades físicas. A doença, que se caracteriza pelo enfraquecimento dos ossos e atinge principalmente as mulheres, pode levar a fraturas mesmo com traumas aparentemente insignificantes, como cair após tropeçar, e até mesmo um abraço apertado pode causar uma lesão.

Nesta sexta-feira (20) é celebrado o Dia Mundial de Prevenção e Combate à Osteoporose, e, segundo a médica endocrinologista Marise Lazaretti Castro, presidente da Associação Brasileira de Avaliação Óssea e Osteometabolismo (Abrasso), os cuidados para evitar a doença já podem começar na infância.

“A prevenção é basicamente por meio de hábitos saudáveis desde a infância até a terceira idade. É importante ter um bom aporte de cálcio, que vem principalmente dos laticínios, e fazer atividades físicas, porque os ossos ficam mais fortes quando são mais solicitados. O sedentarismo é péssimo, porque o organismo entende que o corpo não precisa de um osso forte.”

Para um adulto, o consumo ideal de cálcio é de 800 a 1.000 mg por dia e, de acordo com Marise, isso equivale de duas a três porções de laticínios.

“Uma dieta habitual sem laticínios já tem cerca de 250 mg de cálcio e um copo americano de leite tem 300 mg de cálcio. Alguns períodos são mais críticos, como a infância e a adolescência, quando a pessoa já precisa de nutrientes de forma geral, na gestação e na lactação, na pós-menopausa, quando há 4% de perda óssea por ano, e os idosos.”

Outra recomendação é tomar banhos de sol, fonte de vitamina D para o organismo. Crianças até 2 anos e pessoas acima de 65 anos devem tomar suplementos com a vitamina.

Marise diz que a osteoporose é uma doença silenciosa e, até que a pessoa sofra alguma fratura, o diagnóstico só pode ser feito com a medição de cálcio nos ossos, exame conhecido como densitometria óssea e que é indicado para mulheres acima dos 65 anos e homens a partir dos 70. O histórico do paciente também é avaliado. O tratamento é feito com medicações cuja principal função é reduzir o risco de fraturas, adequação de cálcio e vitamina D no organismo, alimentação saudável e prática de atividades físicas.

 

Segurança

Ter uma casa segura é um cuidado fundamental para evitar as fraturas que podem atingir os pacientes que têm osteoporose. “O banheiro é um local crítico, além de ter piso liso, está molhado É muito comum ter acidentes no box. O ideal é que tenha alça para se segurar na área do box e perto da bacia sanitária, banquinho para se sentar para lavar o pé, tapete antiderrapante dentro e fora do box.” No restante da casa, a recomendação é evitar tapetes.

Entre esta sexta-feira e o domingo (22) a Abrasso vai exibir um modelo de residência adequada por meio do Projeto Casa Segura, uma parceria com a Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (USP). A casa estará aberta ao público das 9h às 17h no Parque Estadual Villa-Lobos, em Alto de Pinheiros, na zona oeste da capital. Também serão realizadas avaliações e orientações sobre a doença serão oferecidas aos visitantes.

 

Dicas:

1 – Cadeiras e poltronas devem ter uma altura mínima de 45 a 50 cm do chão;

2 – Tire tapetes da sala e de outros cômodos, porque eles favorecem quedas;

3 – Mantenha os cômodos iluminados e, à noite, sempre deixe uma luz acesa;

4 – Na cozinha, deixar tudo que é mais usado com fácil acesso;

5 – Coloque fitas antiderrapantes na borda dos degraus das escadas.

IMPRIMIR
Fonte:

O Tempo