Cursos superiores de graduação tecnológica em Minas Gerais estão acima da média estadual e melhores ranqueados em relação aos cursos de bacharelado e licenciatura. Este foi o retrato que o Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (Enade) de 2017 revelou. O resultado do exame foi divulgado nesta terça pelo Ministério da Educação (MEC). Em média, 47,8% dos cursos tecnológicos avaliados no Estado possuem conceito 4 e 5, os mais altos da escala. A média geral não passa de 33%.

O Enade avalia a qualidade do ensino nas universidades, faculdades e institutos de educação do país, levando em conta o desempenho dos alunos em provas sobre conhecimentos gerais e temas específicos dos cursos, além de questionários e visitas técnicas que avaliam a infraestrutura das instalações, metodologias de ensino e material programático.

Notas e avaliações técnicas são ponderadas com o IDD, que indica a diferença entre os desempenhos observado e esperado, medindo quanto o curso agregou ao conhecimento do estudante, por meio do cruzamento de notas do aluno no Enade e no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

Parcerias

Dentre as melhores notas do Estado estava a do Curso Superior em Tecnologia de Redes de Computadores das Faculdades Promove, que já era o melhor da capital no último exame (2014). O curso ficou com o conceito 4 do Enade, um acima do observado anteriormente.

“Acredito que esteja sendo decisiva para o bom desempenho, a qualificação dos nossos professores, a maioria com mestrado e doutorado, além de parcerias com empresas da área, como Cisco Networking Academy, Red Hat Academy e Aws Academy”, afirmou o professor João Carlos Peixoto Ferreira, coordenador do curso.

Especialidades

Segundo a pesquisadora Maria Inês Fini, do Instituto de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), o bom desempenho dos cursos tecnológicos deve ser comemorado, uma vez que foram melhores nas provas de especialidades.

“O Enade possui dois questionários, o geral e o específico de cada curso. Os tecnológicos, que mostraram melhores desempenhos, podem servir tanto de exemplo para que outros institutos entendam no que têm de melhorar, quanto para que os próprios professores norteiem seus trabalhos”.

O MEC informou que os cursos com notas abaixo de 3 no Enade passam a ser observados de perto pela pasta, que dá um prazo para melhora dos índices. Caso o resultado não aumente, as instituições podem sofrer sanções como suspensão de vestibulares e veto a cursos.

 

IMPRIMIR

Fonte:

Hoje em Dia