Em um determinado momento da história brasileira, dizia-se que, segundo a crença popular, não é recomendável brigar com quem usa saia: padre, mulher e juiz que usa toga. E tinha outra frase: sentença de juiz não se discute, se cumpre.
Com a celeuma do cumprimento da sentença que recai sobre o ex-presidente da República Lula e que, claro, ainda não é definitiva, em vista dos recursos que permite a lei, a pergunta é simples: a lei, quando aplicada a um político, seja de que matiz for, tem interpretação diferente da lei aplicada a um cidadão comum, sem matiz político e sem recursos financeiros? Sem exceção, a resposta seria uma só: a interpretação das leis e a sua aplicação para políticos, na justiça brasileira, é na sua maioria, diferente! Há sim políticos presos, há condenados quenão foram presos e há políticos ainda sob processos.

IMPRIMIR