“Comemorando?” o aniversário da cidade, com alguma antecipação, o formiguense acaba de receber do chefe do Executivo Municipal, um presentão: Um reajuste de 25% nas tarifas do Saae – Serviço Autônomo de Água e Esgoto. Note-se que o INPC de abril foi fixado em 5,8149%.

As tarifas atualizadas, segundo o decreto passaram a vigorar a partir do dia 1º de maio e os novos valores, já com o reajuste, aparecerão nas contas de junho.

Segundo o parágrafo único do artigo 1º do Decreto 6154 de 22 de abril de 2014, para que houvesse a concessão (sic) do reajuste, foi considerada a defasagem do custo de produção e distribuição de água e do recolhimento e destinação final do esgoto em relação à tarifa atual. Com a adoção das novas tarifas, embora o decreto não especifique, é bom lembrar que também as taxas referentes à limpeza urbana, (tarifa de SLU), também serão reajustadas na mesma proporção.

Ouvido sobre o assunto, o recém empossado diretor do Saae, Ney Araújo, afirmou que o decreto já estava em vigor quando ele assumiu a autarquia. “Porém entendo que as atuais condições das bombas de recalque, grande parte da rede de distribuição, da adutora e de diversos reservatórios de distribuição e de outros equipamentos da própria estação de tratamento, necessitam urgentemente de reparos e/ou substituições que demandam um grande volume de recursos. A modernização do sistema, assim como a correção de tudo isso é mais que necessária e acredito que a sobra de recursos para esta demanda, mesmo com o aumento agora decretado ainda será insuficiente. Ou investimos pesado, agora, corrigindo o que não se fez nos últimos anos, ou, de uma hora para outra o abastecimento poderá entrar em colapso”.

Ney explicou que a perda de água por defeitos na tubulação e com a utilização de bombas e equipamentos ?arcaicos? adquiridos há décadas é superior a 30% ou 40%, se considerada a diferença entre o volume captado, tratado e efetivamente entregue ao consumidor.

Para uma autarquia que nestes primeiros 16 meses de governo já passou por 5 diretores diferentes (Ronaldo ? Gonçalo ? Paulo Cohen ? Rafael Tomé e Ney), fica mesmo difícil de se entender qual foi, é ou será, a política de investimentos a ser adotada.

Em 5 de março deste ano, o prefeito por meio do decreto 6116 ? pretendia reajustar as tarifas do Saae em percentuais que chegaram a ser propostos com variações de 150 a 237%. Ao revogar o malsinado decreto, o prefeito Moacir Ribeiro justificou sua conduta afirmando que o fazia em atendimento ao ?clamor popular?.

print
Comentários