(Foto: Segov)

Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (Cedec), vinculada ao Gabinete Militar do Governador, lançou, nesta terça-feira (13), o Plano de Emergência Pluviométrica 2018/2019. O plano, que já foi enviado às prefeituras, esclarece, passo-a-passo, como os municípios devem agir para, junto com o Estado, garantirem a integridade da população durante o período chuvoso.

O documento contempla a elaboração dos planos de contingência, o cenário climatológico para os próximos meses e as ações de resposta a possíveis desastres. Os envios de alertas, a decretação de situação de anormalidade, a assistência humanitária e o funcionamento do plantão também são detalhados no plano.

“O Plano de Emergência Pluviométrica traz o diagnóstico do período chuvoso nos anos anteriores, além de informações sobre as ações destinadas à gestão do risco de desastres e gestão de desastres que são desenvolvidas no território mineiro”, enfatiza o tenente-coronel Rodrigo de Faria Mendes, coordenador adjunto de Defesa Civil de Minas Gerais.

“Queremos disseminar a cultura de percepção dos riscos, além de preparar os gestores públicos estaduais e municipais frente aos desafios relacionados à proteção e defesa civil. A expectativa desejada é a de que as informações sejam convertidas em ações pontuais e efetivas para salvaguardar vidas”, complementa o tenente-coronel. 

Previsão do tempo

Segundo informações do Sistema de Meteorologia e Recursos Hídricos de Minas Gerais (Simge), que monitora constantemente os volumes de chuva e emite alertas para os órgãos de proteção e defesa civil, a tendência para o trimestre (novembro, dezembro e janeiro) é de maior probabilidade de chuvas no Sul, Oeste, Região Metropolitana, Campo das Vertentes e Zona da Mata.

No Noroeste, a probabilidade é de chuvas abaixo da normalidade climatológica. Nas demais regiões a tendência é de precipitações pluviométricas em torno do normal para o trimestre. Destaca-se que, em novembro, a tendência é de chuvas em todo o estado. Com isso, novos alertas poderão ser emitidos via aplicativo nos próximos dias.

Cuidados
Segundo a Cedec, os principais causadores de ocorrências com vítimas relacionadas à chuva são, nesta ordem, as inundações, os deslizamentos e as descargas elétricas. Também podem ocorrer alagamentos, enxurradas, vendavais e granizos.

Em casos de inundações, é preciso sair rapidamente da localidade atingida e, se possível, dirigir-se a um ponto mais alto, com maior possibilidade de escoamento da água. Outra recomendação importante é não deixar crianças brincando na enxurrada ou nas águas dos córregos, pois elas podem ser levadas pela correnteza ou contaminar-se com doenças.

Em locais com risco de deslizamento de encostas, os moradores devem estar atentos a trincas e rachaduras no chão das casas e também nas encostas. Já em caso de descargas elétricas, estando na rua, a recomendação é nunca se abrigar debaixo de árvores.

Se estiver em casa, é necessário desligar os aparelhos eletrônicos das tomadas, afastar-se de janelas e não manusear nenhum aparelho ligado à rede elétrica, em hipótese alguma.

“Estamos prontos e disponíveis para atender e apoiar os municípios que porventura forem assolados por desastres. É essencial que, caso o desastre ocorra, a Cedec seja imediatamente comunicada”, reforça o capitão.

Clique aqui ou acesse www.defesacivil.mg.gov.br para conferir mais dicas.

Em caso de perigo, o cidadão deve acionar a Defesa Civil Municipal.
O telefone é o 199.

 

Fonte: Segov MG||

Imprimir

Comentários